Semanal

Como o desmatamento da Amazônia afeta a produção energia elétrica

Como o desmatamento da Amazônia afeta a produção energia elétrica

Nenhum país no mundo quer colocar abaixo as suas florestas. Ainda que o avanço urbano aumente, não há dúvidas que sem preservação não existe vida. No entanto, não é isso acontece no Brasil. A maior floresta tropical do mundo, a Amazônia, está em risco e não é de agora; mas, os dias passam e a situação tende a entrar em colapso.

Para que se mostre como a destruição da floresta tem a ver não somente com os povos que lá habitam e, sim, com todos nós, pego um exemplo do aumento na conta de luz. O número recorde de desmatamento tem total ligação com o também aumento de 52% em contas de energia.

De acordo com o INPE, é o segundo ano consecutivo de taxa recorde de desmatamento na Amazônia no mês de junho. Isso porque nos últimos sete anos, os reservatórios responsáveis pelas hidrelétricas estão recebendo um volume de água muito inferior, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Ou seja: quanto mais floresta for levada para o chão, menor será a quantidade de água produzida por esse ecossistema e, consequentemente, menor também será o volume de água a chegar nas usinas hidrelétricas (no Brasil, 63,8% da energia é gerada por esse sistema).

A mensagem que fica é clara: sem floresta toda existência de um país é atingida – principalmente, quando o país em questão é o Brasil, que ano após ano bate o recorde anterior nos níveis de desmatamento. Alguma atitude precisa ser tomada, o mais rápido possível.