Televisão

Comentarista é demitido após dizer que ‘mulher deve tomar conta da casa’

Daniel Campelo não se retratou sobre suas afirmações

Crédito: Reprodução
Ceará –  O comentarista Daniel Campelo, da Rádio Jovem Pan de Fortaleza, foi demitido após declarações machistas durante uma transmissão. A polêmica aconteceu na vitória do Ceará sobre o Avaí, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. As informações são do “UOL”.
Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sá, da Federação Carioca, era a assistente da partida, no Castelão. O comentarista foi perguntado pelo narrador, Gomes Faria, sobre a presença das mulheres no futebol. “Estou percebendo, meu caro Daniel Campelo, que as mulheres estão começando a tomar conta da arbitragem no futebol brasileiro. O que você acha?”, perguntou.
“Não acho uma boa, não. Acho que mulher deve tomar conta é da casa. E do marido. E dos filhos”, respondeu Campelo, em fala que foi de imediato rebatida pelo narrador com um “sai pra lá” em tom constrangido.
Antes de ser desligado, no dia seguinte ao jogo, Campelo teve a oportunidade de se retratar, já que ouviu de seus colegas de trabalho que seu comentário teve um repercussão negativa. No entanto, o comentarista reafirmou sua declaração. “[Mulher tem de tomar conta] Da casa, do marido e dos filhos. Não disse brincando, não. Repito aqui. Quem não gostar tire a calcinha e pise em cima. Não tenho nada com isso. Não dou satisfação porque é mulher”, afirmou.
Após ser questionado pelos membros da bancada, Campelo respondeu: “Que você discorde. Eu tenho meu ponto de vista. Negócio de mulher metida com macho dentro do estádio. Eu adoro mulher. Melhor do que uma mulher, só duas”.
Campelo ao ouvir no programa que “mulheres trabalham bem”, afirmou: “Dá não. Negócio de futebol não dá certo. Até para a mulher entrar em campo… O árbitro antes de o jogo começar vai no túnel dos jogadores, e os jogadores estão tomando banho. A mulher vai entrar lá como, com os jogadores todos pelados? É por isso que tem as marias chuteiras”.
O Grupo Cidade de Comunicação, responsável pela emissora no estado, emitiu uma nota de repúdio, condenando as declarações do comentarista. “Respeitamos as mulheres e acreditamos no potencial feminino, inclusive pelo fato de termos uma mulher como âncora de importantes programas da emissora. Nosso compromisso é com a ética, o bom jornalismo e, sobretudo, o respeito a todos – e a todas”, termina a nota.