Edição nº2552 15/11 Ver edições anteriores

Começou a baixaria. Agora vai

Como todo país onde a educação não é importante, no Brasil os eleitores acordam para a campanha eleitoral quando tem quebra-pau.

Nada de debates civilizados ou ideias equilibradas, que isso não dá audiência.

Povo que foi educado a drama de novela quer mesmo é ver o pau comer.

Candidato bom, no Brasil, tem que sair no tapa.

Esta eleição começou morna.

Nenhum filho bastardo revelado, nenhum dossiê de calúnias, todo mundo comportado.

Uma vergonha mesmo.

Ciro Gomes, que todos apostavam que ligaria uma metralhadora giratória de ofensas, portou-se como um verdadeiro gentleman nos primeiros debates.

Decepcionante. Não dá nem vontade de assistir à propaganda eleitoral.

Até esta semana.

Porque com a eleição chegando, os marqueteiros e políticos parecem que começaram a levar suas campanhas a sério.

Foi o próprio Ciro Gomes quem abriu os serviços e mandou seu primeiro filho da p… em rede nacional.

Em Roraima, cercado de repórteres, Ciro identificou um partidário de Romero Jucá e, sem pestanejar, imputou a mais antiga profissão para a mãe do sujeito.

Esse é o Cirão que a gente queria ver.

Por falar em mãe, o vice de Jair Bolsonaro, general da reserva Hamilton Mourão, atacou ninguém menos que as sagradas mães e avós.

Aí sim!

Segundo ele, as casas de famílias pobres “sem pai ou avô, apenas com mãe e avó” são “fábricas de desajustados”.

Boa, general!

É esse tipo de afirmação estapafúrdia que elege presidentes por aqui.

A campanha no PT também começou.

Lula desistiu de Lula e Lula botou todas as fichas em Haddad que, por sua vez, botou suas fichas de volta em Lula.

Sem Lula na presidência, perdemos a chance de ser o primeiro país carcerodemocrático do mundo.

Uma pena!

E o grupo de Facebook Mulheres Unidas Contra Bolsonaro já conta com mais de 3 milhões de assinantes.

Um sucesso!

Surpreende, inclusive, que não existam outros grupos.

Sugiro alguns: Desmatadores Unidos Contra Marina; Fonoaudiólogos Unidos Contra Meirelles; Ateus Unidos Contra Cabo Daciolo; Corretores Imobiliários Unidos Contra Boulos; e por aí vai.

Bolsonaro não deixou por menos.

Se apressou em fazer um live, também no Facebook, diretamente de sua cama na UTI do Hospital Albert Einstein.

Até onde eu sei, não é permitido o uso de celulares numa UTI.

Mas o que são as regras de uma simples UTIzinha para o mito, não é mesmo?

Jair Bolsonaro aparece no vídeo bastante emocionado.

A certa altura, chegou a chorar.

Foi bonito.

E imagino que libertador, para os machistas e homofóbicos, descobrirem que chorar não é coisa de maricas.

Em seu depoimento, Bolsonaro acusou o PT de estar armando uma fraude eleitoral.

Não apresentou nenhuma prova, mas, convenhamos, o sujeito está lá se recuperando de uma facada, recém-operado, então, não podemos nos ater a essa tecnicalidade.

Temos é que agradecer seu esforço em colaborar para manter o nível dessa campanha.

Passada esta intensa semana, me pergunto onde estão os outros candidatos.

Onde está Amôedo, Alckmin ou Marina?

Será que seus marqueteiros imaginam que seus candidatos vão conquistar votos apresentando Planos de Governo?

Ora, por favor!

Esta eleição começou morna. Nenhum filho bastardo revelado, nenhum dossiê de calúnias, todo mundo comportado. Uma vergonha mesmo

 

Tópicos

Mentor Neto

Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.