Mundo

Começa êxodo hondurenho em busca do “sonho americano”

Começa êxodo hondurenho em busca do “sonho americano”

Cerca de 300 hondurenhos partiram em caravana para os Estados Unidos, fugindo da violência em seu país e da crise causada pelos furacões Eta e Iota, da Grande Central Metropolitana de San Pedro Sula, 180 quilômetros ao norte de Tegucigalpa, em 14 de janeiro de 2021. - AFP

Cerca de 300 hondurenhos partiram nesta quinta-feira (14) para os Estados Unidos, antecipando uma grande caravana de migrantes convocada para sexta-feira (16), em busca de melhores condições de vida e com a esperança de que o próximo presidente, Joe Biden, os receba.

Os hondurenhos se reuniram na quarta-feira à noite em San Pedro Sula, 180 quilômetros ao norte de Tegucigalpa.

Embora tenham tentado sair naquela hora, a polícia bloqueou suas tentativas devido ao toque de recolher estabelecido no país das 21h às 5h para restringir as viagens devido à pandemia de covid-19.

Com a primeira luz do dia, os integrantes da caravana iniciaram a caminhada nesta quinta-feira em direção à fronteira com a Guatemala através do desfiladeiro de Corinto, a cerca de 100 km do terminal de transportes.

Eles devem passar pela Guatemala e pelo México. Alguns grupos portavam a bandeira hondurenha e a maioria estava usando máscaras, exigidas como medida preventiva.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

De acordo com a chamada que viralizou nas redes sociais, cerca de 3.000 pessoas devem se encontrar na quinta à noite no terminal de ônibus de San Pedro Sula.

De lá planejam partir na madrugada de sexta-feira, seja por Corinto ou Agua Caliente, o outro ponto de fronteira com a Guatemala, o que significa uma jornada de 260 km.

Os migrantes justificam o êxodo pela pobreza extrema e a falta de emprego, a violência de gangues e traficantes de drogas em seu país e a crise deixada pela passagem de dois furacões em novembro.

Eles também esperam que Biden, que assumirá a presidência dos Estados Unidos em 20 de janeiro, seja mais flexível com as regras de imigração do que seu antecessor Donald Trump, possibilidade que já foi rejeitada por Washington.

“Não desperdicem seu tempo e dinheiro e não arrisquem sua segurança e saúde”, recomendou o comissário em exercício da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (CBP), Mark A. Morgan, em um comunicado. É uma jornada “mortal”, frisou.

Mais de uma dúzia de caravanas deixaram Honduras desde outubro de 2018, mas colidiram com o muro e o envio de milhares de guardas de fronteira e militares ordenados pelo presidente Trump na fronteira sul com o México.

Guatemala, México e Honduras firmaram um acordo conhecido como “terceiro país seguro” com o governo Trump, no qual concordam em colaborar com os Estados Unidos para impedir os fluxos migratórios do sul do continente.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel