Esportes

Com suas duplas, Soares e Melo vencem na estreia em Roland Garros; Demoliner cai

O saldo foi positivo para as duplas brasileiras em Roland Garros nesta quarta-feira. Das três que entraram em quadra, duas venceram na estreia, com Bruno Soares e Marcelo Melo jogando com seus parceiros estrangeiros. Já Marcelo Demoliner se despediu na primeira rodada.

Campeão do US Open, Soares e o croata Mate Pavic derrotaram o neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3. Em Paris, brasileiro e croata formam a dupla cabeça de chave número 7.

“Foi uma estreia muito boa, muito feliz. Em condições que a gente nunca viu em Roland Garros: setembro, frio, à noite e com luz artificial. Jogamos muito bem, conseguimos deixar o resultado confortável. Seguimos surfando nessa onda de energia e de confiança que a gente vem trazendo desde o US Open”, comentou Soares.

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

Na próxima rodada, eles vão enfrentar o argentino Andres Molteni e o monegasco Hugo Nys. “Vai ser pedreira, Nys e Molteni jogam muito bem no saibro. Nós assistimos a primeira rodada deles, que venceram Gille e Vliegen, uma dupla sempre perigosa. Agora, nós temos mais um dia para nos preparar e ir com tudo na sexta-feira”, disse o brasileiro, que ainda busca seu primeiro título em Roland Garros.

Campeão em Paris em 2015, Melo forma a dupla cabeça de chave número quatro ao lado do polonês Lukasz Kubot. Nesta quarta, eles bateram os franceses Arthur Cazaux e Harold Mayot por duplo 6/2. Nesta quinta, eles vão duelar com os norte-americanos Nicholas Monroe e Tommy Paul, pela segunda rodada.

“Eu fiquei muito feliz de poder ter jogado a primeira rodada na quadra central. Tenho belas recordações de lá, quando fui campeão com o Ivan (Dodig). Então realmente foi muito especial estrear na Philippe Chatrier. Normalmente jogamos a final lá. Estrear o torneio jogando muito bem, na quadra central, foi muito legal, muito prazeroso”, afirmou Melo.

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

Já Marcelo Demoliner foi eliminado logo na rodada de abertura da chave de duplas masculina. Ele e o holandês Matwe Middelkoop foram superados pelo britânico Daniel Evans e pelo polonês Hubert Hurkacz por 2 a 1, com parciais de 7/6 (7/2), 3/6 e 7/5.

Na chave feminina, a brasileira Luisa Stefani vai estrear nesta quinta. Ela e a americana Hayley Carter vão duelar com a norueguesa Ulrikke Eikeri e a espanhola Aliona Bolsova.

OUTROS RESULTADOS – Vice-campeão do US Open, o alemão Alexander Zverev (6ª cabeça de chave) sofreu, mas alcançou a terceira rodada da chave de simples. Ele precisou de cinco sets para superar o local Pierre-Hugues Herbert por 3 a 2, com parciais de 2/6, 6/4, 7/6 (7/5), 4/6 e 6/4. Após a batalha de quatro horas em quadra, o alemão vai encarar o italiano Marco Cecchinato, que despachou o argentino Juan Ignacio Londero por 6/3, 6/2, 5/7 e 6/2.

Também avançaram o norueguês Casper Ruud (28º), os italianos Jannik Sinner, Lorenzo Sonego e Stefano Travaglia, que despachou o japonês Kei Nishikori em cinco sets e agora será o adversário do espanhol Rafael Nadal na terceira rodada. Já o argentino Federico Coria eliminou o local Benoit Paire (23º) por 7/6 (7/3), 4/6, 6/3 e 6/1.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Novo Código de Trânsito é aprovado; veja o que mudou
+Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea