Edição nº2594 13/09 Ver edições anteriores

Com restrição

Brasil
Com restrição

Valor Econômico

As articulações no Congresso para o Orçamento de 2019 ser votado até quinta-feira 19, na visão de alguns líderes partidários, já não interessam tanto ao futuro ministro Paulo Guedes. Diante dos projetos diminuindo as receitas da União aprovados nos últimos dias pelo Legislativo, ele sinaliza preferir que o governo comece o ano limitado a gastar 1/12 do orçamento de 2018. Assim, livre de mais pressões por dinheiro, sobretudo dos novos governadores, e com uma renovada bancada na Câmara e no Senado, a partir de fevereiro o Ministério da Economia conseguirá negociar um orçamento bem afinado às prioridades do novo governo.

Lava Jato
Réveillon na cadeia

O ano começou e terminará sem que o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, consiga um acordo de delação premiada. Ele já prestou depoimentos e cooperou com investigações abertas em países como Noruega, Panamá e Itália. Porém, condenado a mais de 30 anos de reclusão, não ofereceu relatos que enchessem os olhos do MPF e que justificassem a sua pretensão de reduzir 2/3 da pena. As tratativas com a PF também amuaram.

Câmara dos Deputados
Troca geral

Só com a confecção de carteiras para deputados federais a Câmara gastará R$ 122 mil. Os documentos terão capas em couro fino e conterão os dados pessoais dos parlamentares. Não se sabe quantos as ostentarão até 2022, quando terminarão os mandatos. Muitos caem pelo caminho, metidos em confusões. Ao preço de R$ 149,50 cada, o mais econômico seria usar a carteira de identidade, que serve até para entrar nos países do Mercosul.

Executivo
Tchau, Brasil!

Chega ao fim o mandato do Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Marcos Jorge. Em tempos de transição para o novo governo, ele tirou férias. Aliás, pouco teria a contribuir em um ano em que o PIB atingiu um crescimento pífio de 1,8%.

Povos indígenas
Com flechas

Surgiu o primeiro grupo disposto a realizar atos de protesto na cerimônia de posse de Jair Bolsonaro na Presidência da República. Tratam-se de indígenas. Alguns caciques estão mobilizando suas tribos a irem para Brasília em 1º de janeiro. Pintados para guerra, eles devem gritar e dançar contra o que consideram descaso com as etnias e a Funai, autarquia ainda sem endereço no governo que se forma.

Agricultura
Finalmente lá

No novo Ministério da Agricultura, a quase extinta Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio será comandada pelo diplomata Orlando Leite Ribeiro, do Departamento de Promoção Comercial e de Investimentos do Itamaraty. Quando chefiou a Divisão de Produtos de Base, ele teve atritos com Kátia Abreu e Blairo Maggi.

Segurança
Vozes contrárias

©Divulgação

Se Jair Bolsonaro abriu bem os olhos na quarta-feira 12, ao visitar o Comando de Operações Táticas da PF, viu que não há unanimidade na escolha de Maurício Valeixo para o cargo de diretor-geral. Setores da PF de São Paulo e de Brasília alegam existir delegados mais experientes do que o atual superintendente regional no Paraná. Sergio Moro bancou a conta de ter sob o seu comando vários integrantes da “turma de Curitiba”.

Indulto
Mais democrático

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Com 28 assinaturas, a Proposta de Emenda Constitucional que transfere da Presidência da República para o CNJ a elaboração do novo indulto de Natal tramita em regime especial no Congresso. Mas não deverá ser votada no plenário este ano. Com 54 das vagas em disputa na última eleição, 46 foram conquistadas por novatos. Assim, o clima no Senado é de barata-voa — muitos políticos que perderam nas urnas não aparecem ou estão em viagem, gozando os últimos momentos 0800. Autor da matéria, Otto Alencar (PSD-BA) diz que a medida é para moralizar o benefício: “nada de soltar os amiguinhos do Poder”, disse, lembrando que o ato de Temer afrouxou as regras para o perdão da pena de condenados por corrupção e crimes do colarinho branco.

Cultura
Prateleiras vazias

O Sindicato Nacional dos Editores de Livros reuniu associados para saber se alguém se interessaria por uma inusitada proposta da Livraria Cultura. Em recuperação, a empresa queria comprar R$ 20 milhões em livros pagando em cash apenas 10% da encomenda. O restante seria quitado em janeiro. Ninguém topou por saber que a situação da Cultura é difícil, com uma dívida de R$ 285 milhões. Com sentimento de que foram enganados no passado, muitos editores preferem que a rede desapareça, deixando surgir no lugar outros livreiros.

Justiça
Ganhou, mas não levou

A 23ª Câmara Cível do TJ do Rio confirmou a sentença que obriga o Instituto Estadual do Ambiente a pagar R$ 15 milhões, mais juros e correção, à construtora Odebrecht. O valor diz respeito à execução de obras emergenciais de recuperação de diques nas regiões do norte e noroeste fluminense. A empresa, porém, não poderá pôr a mão na bolada, pois é alvo de bloqueio de bens na ação que apura irregularidades nas obras da Linha 4 do Metrô do Rio.

Trânsito
Hugo no volante

Vinculado ao Ministério das Cidades, o Denatran pode virar Secretaria Nacional de Segurança Viária, sendo integrado à Infraestrutura. Um dos cotados para assumir o posto é o assessor parlamentar Jerry Adriane Dias Rodrigues. A sugestão partiu do deputado Hugo Leal (PSD-RJ), presidente da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro e autor de outras indicações para as diretorias de Educação no Trânsito e Assuntos Veiculares do mesmo departamento.

Advocacia Pública
Gols a favor

A gestão da ministra Grace Mendonça, da AGU, se encerra em 31 de dezembro com o marco histórico de 69,3% de vitórias no STF nos últimos dois anos. O principal beneficiado foi o Tesouro, já que aproximadamente R$ 150 bilhões deixaram de sair dos cofres públicos em decisões desfavoráveis à União. Por sua vez, ações da CGU em 2018 retornarão R$ 7,23 bilhões. A dinheirama da CGU pingará firme até o último dia útil do ano.

Geologia
Melhor cavar

©Vladimir Zapletin/Istockphoto

Os setores agrícola e mineral respondem por 35% do PIB. Para integrar as duas áreas e aumentar a eficiência no uso de fertilizantes, especialistas estudaram o subsolo brasileiro por 20 anos. Coordenado pela CPRM e pela Embrapa, o Zoneamento Agrogeológico surpreende: mais de 95% do campo pode ser abastecido por agrominerais que estão a no máximo a 150 quilômetros de distância. A exploração caberá ao setor privado. Apesar de ser um dos maiores produtores de alimentos, biocombustíveis e fibras do mundo, o Brasil importa insumos para a fabricação de fertilizantes.

Cultura
No estúdio

©Divulgação

Para o quarteto vocal Boca Livre, dezembro marca o fim da gravação do novo trabalho, “Cantiga de Bem Querer”. o grupo comemora quarenta anos de carreira, premiada até com um Grammy. A turnê de lançamento ficará para depois do carnaval.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.