Esportes

Com nove jogadores e técnico, Flamengo domina também o Prêmio Brasileirão

Crédito:  Lucas Figueiredo / CBF

Mais uma vez, a noite foi do Flamengo. Campeão Brasileiro por antecipação, o time rubro-negro dominou o Prêmio Brasileirão, organizado pela CBF e realizado na noite desta segunda-feira no Píer Mauá, na região portuária do Rio de Janeiro. A seleção do campeonato contou com nove jogadores do Flamengo, além do técnico português Jorge Jesus. Dois jogadores do Athletico-PR completam o grupo. Bruno Henrique, também do rubro-negro carioca, foi eleito o craque do campeonato. Michael, do Goiás, foi apontado como a revelação.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Por mim, faria um contrato vitalício com o Flamengo”, resumiu Bruno Henrique ao chegar para a premiação com o status de grande nome da principal competição do País.

O time ideal do Brasileirão foi formado por Santos (Athletico); Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis (Flamengo); Bruno Guimarães (Athletico), Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel Barbosa (Flamengo).

“A gente está muito feliz. É fruto de muito trabalho, muita dedicação. Não tenho dúvidas de que essa conquista não aconteceria se não tivéssemos um grupo forte, jogadores que se dedicaram. Formamos uma grande equipe”, disse Rodrigo Caio.

“Eu não esperava, pra mim tem sido um ano muito bonito. Não imaginei que em quatro meses de Flamengo eu iria me tornar campeão da Libertadores, campeão brasileiro, e hoje receber o prêmio (entre os zagueiros)”, completou Pablo Marí.

Um dos laterais da seleção na Copa do Mundo da Rússia e campeão da Copa América este ano, Filipe Luís também vibrou – e disse que decidiu retornar ao Brasil porque sabia que voltaria a ganhar títulos.

“Sonhava e esperava. Aceitei voltar para o Brasil e para o Flamengo com certeza por causa desse pensamento, de fazer história. Seria tão rápido os dois títulos? Não sei… Meu sonho era conquistar o Campeonato Brasileiro, e depois que cheguei aqui descobri a dimensão que é a Libertadores”, afirmou o lateral.

Entre outras premiações, o Corinthians levou o Prêmio Fair Play, por ter sido a equipe que ficou melhor colocada em ranking que considerou cartões. Wilton Pereira Sampaio (GO) foi apontado como o melhor árbitro. Os melhores auxiliares foram Bruno Boschillia (PR) e Fabrício Vilarinho (GO). Rodrigo Guarido (SP) foi eleito o melhor árbitro de vídeo.

FEMININO – O Prêmio Brasileirão também apontou a seleção do Brasileiro A1 Feminino. A equipe ideal foi formada por Luciana (Ferroviária); Fabi Simões (Internacional), Pardal e Erica (ambas do Corinthians) e Tamires (Corinthians); Aline Milene (Ferroviária), Maglia (Ferroviária), Gabi Zanotti (Corinthians) e Vitória (Corinthians); Millene (Corinthians) e Glaucia (Santos). Tatiele Silveira, da Ferroviária, foi escolhida a melhor técnica, e Vitória, a revelação do campeonato. A atacante Millene foi a craque da competição.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ Nova Honda CB125F 2021 com consumo recorde de 67 km/l

+ Motoqueiro entrega pizza no estúdio do MasterChef Brasil de hoje (22)

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea