Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Após vencer o rival Palmeiras e esboçar uma arrancada no Campeonato Brasileiro, o São Paulo voltou a decepcionar a torcida. Ema uma fria noite no Morumbi, com Rogério Ceni poupando mais da metade do time titular, o Tricolor não saiu de um empate em 0 a 0 com o Juventude, neste domingo (26).

GALERIA
+ Veja os melhores memes da vitória do São Paulo sobre o Palmeiras

Ao apito final, o time tricolor teve que deixar o gramado sob vaias da torcida. Não era para menos, visto que o adversário alviverde vinha de quatro derrotas consecutivas na competição.

Com o resultado, o São Paulo cai para a 11ª colocação na tabela, com 18 pontos. O Juventude segue na lanterna, com apenas dez.

MISTÃO TRICOLOR CONTRA O BAIXO ASTRAL

Sabe aquele limite físico que Rogério Ceni vinha falando há algumas coletivas? Pois bem, deve ter chegado. E por conta disso o comandante tricolor decidiu mandar a campo na frita noite deste domingo uma equipe mista a campo. Foram sete alterações em relação ao time que venceu o Palmeiras pela Copa do Brasil, na quinta-feira (23).

Sem o entrosamento necessário dos mandantes, talvez, o Juventude aproveitou. Estreando novo técnico, os gaúchos apareceram em um 3-6-1 apostando muito na velocidade dos contra-ataques. Deu certo logo aos 2′. Chico avançou livre pela esquerda e tocou para Jadson, que finalizou próximo à trave de Jandrei.

RESPOSTA SÃO-PAULINA NÃO TARDA, MAS FALHA

A resposta do Tricolor não demorou. Logo aos 3′, Rafinha apareceu com liberdade pela direita e cruzou na medida para Éder, que se antecipou à marcação e desviou de cabeça com perigo.

Aos 19′, mais uma vez o São Paulo apareceu com perigo. Luciano avançou pelo meio, ignorou algumas opções livres que apareceram do lado e resolveu chutar de fora da área, para a defesa de César.

MELHOR MOMENTO DO TRICOLOR, MAS NÃO RENDEU NADA

Aos poucos, se valendo dos vacilos de marcação do Juventude, o São Paulo ia se impondo em campo. Aos20′, o time conseguiu uma falta na entrada da área que Rigoni bateu por cima do gol.

Aos 24′, em um lance idêntico ao ocorrido antes, mas do outro lado, Wellington cruzou certinho na cabeça de Éder, que desviou por cima do travessão.

JU SE ACERTA E AS COISAS SE COMPLICAM PRO TRICOLOR

Aos 30′ o São Paulo levou perigo com uma boa jogada ensaiada. Rigoni fez o cruzamento, Patrick escorou de cabeça e Luciano tentou a finalização, falha, que saiu pela linha de fundo sem maiores perigos.

O lance, contudo, é sintomático por vários motivos. O principal deles é pelo fato de que o Tricolor expôs que sua principal jogada ofensiva era pelas pontas e com cruzamentos à área. O time gaúcho percebeu. E passou a armar seus contra-ataques em cima dos laterais tricolores. Aos 31′, em um desses lances, Jadson inverteu a bola para Moraes que, livre, avançou em velocidade e cruzou com perigo para boa defesa de Jandrei.

PRIMEIRO TEMPO TERMINA, SEM TRICOLOR CONVENCER

Aos 37’após roubada de bola no meio-campo, Luciano apareceu livre na entrada da área e arriscou o chute, que César conseguiu espalmar.

Parecia perigoso, mas não tinha nada demais. O São Paulo terminou o primeiro tempo sem encontrar outros métodos de ataque que nçao pelas pontas. E com o Juventude explorando muito bem os espaços deixados, mas claramente esbarrando nas suas limitações.

CENI MEXE, MAS TRICOLOR CONTINUA ERRANDO

Para o segundo tempo, Ceni decidiu ir para o abafa. Colocou em campo os titulares Calleri (muito pedido pela torcida) e Rodrigo Nestor. A esperança era crescer de produção ofensiva. Mas o ritmo foi o mesmo.

Aos 2′, Igor Gomes achou Luciano na entrada da área. Mesmo sob forte marcação, o atacante conseguiu o giro para finalizar, mas bateu em cima do goleiro César.

EM MEIO À PASMACEIRA, MIRANDA PERDE O GOL DO JOGO

O tempo ia passando, o São Paulo pouco ia se acertando. Pragmático, insistia nas jogadas pelas pontas. Mas o Juventude estava mais do que ligado na jogadinha manjada.

Até que apareceu uma luz no Morumbi. Aos 19′, Calleri dividiu cabeçada em cobrança de escanteio e a bola sobrou livre, leve e solta para Miranda, que com o goleiro batido, chutou para fora e perdeu aquele que seria o primeiro gol tricolor. Incrível!

LANCE DE MIRANDA ANIMA, MAS FERROLHO GAÚCHA SEGURA TRICOLOR

Talvez inspirado pela oportunidade de Miranda, o São Paulo foi ao ataque. Aos 28′, Nestor recebeu passe no canto da área e arriscou o chute, obrigando César a desviar para escanteio.

Aos 37′, a última grande oportunidade são-paulina. Calleri tocou curto na área para André Anderson, que entrara pouco antes e chutou em cima da defesa. Foi a chance derradeira para o Tricolor, que nos minutos finais tentou ir para o abafa, mas parou na bem amarrada defesa do rival gaúcho.

PRÓXIMOS JOGOS

O São Paulo volta a campo pelo Brasileirão no próximo domingo (3/7) contra o Atlético-GO, fora de casa, às 16h (de Brasília). Antes, o Tricolor tem o duelo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana contra a Universidad Católica, no Chile, às 21h30 (de Brasília), de quinta-feira (30). O Juventude encara o Atlético-MG, no sábado (2/7), às 16h30 (de Brasília), em Belo Horizonte (MG).

TABELA
> Confira jogos, classificação e simule resultados do Brasileirão-22
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 x 0 JUVENTUDE

Data e hora: 26/06/2022 (domingo), às 18h (de Brasília)
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
​Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires e Fabricio Vilarinho da Silva (ambos da Fifa-GO)
VAR: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN)
Público e renda: 20.466 pagantes/R$ 780.806,00

Cartões amarelos: Patrick e Rodrigo Nestor (São Paulo); Capixaba, Vitor Mendes e Jadson (Juventude)

SÃO PAULO
Jandrei; Rafinha (Diego Costa, 12/2), Léo, Miranda e Welington; Igor Gomes, Pablo Maia e Patrick (Rodrigo Nestor, intervalo); Rigoni (André Anderson 34/2), Éder (Calleri, intervalo) e Luciano (Igor Vinícius 23/2)
Técnico: Rogério Ceni

JUVENTUDE
César; Rodrigo Soares, Thalisson, Rafael Forster e Moraes; Yuri (Jean (42/2), Jadson, Capixaba (Guilherme Parede 23/2), Oscar Ruiz (Edinho 23/2), Chico (Paulo Henrique 49/2); Ricardo Bueno
Técnico: Umberto Louzer