Esportes

Com greve, São Caetano monta time às pressas e leva 9 a 0 do Pelotas

Com seus jogadores em greve e a escalação de um time de garotos para evitar o WO, o São Caetano sofreu neste sábado a maior goleada da história do Campeonato Brasileiro da Série D. Levou 9 a 0 do Pelotas-RS, noo estádio Anacleto Campanella pelo Grupo A8, em duelo válido pela nona rodada.

Este resultado incomum supera os 9 a 1 do Plácido de Castro-AC em cima do Vila Aurora-MT pela Série D de 2011 e se torna o maior massacre da quarta divisão nacional desde sua criação, em 2009. Esta é a segunda maior goleada da história do Pelotas-RS, atrás apenas dos 10 a 0 contra o Internacional de Santa Maria, pelo Campeonato Gaúcho de 1951. Na atual temporada, pela sétima rodada, o Mirassol impôs 8 a 0 em cima do Nacional de Rolândia-PR. Mas não esperava ter seu recorde quebrado em tão pouco tempo.

O desastre é também o maior sofrido pelo time paulista, que no início dos anos 2000 chegou a ser a sensação do futebol brasileiro ao ser vice-campeão brasileiro, vice-campeão da Copa Libertadores e campeão paulista. Mesmo em crise, há duas semanas, o time sagrou-se campeão paulista da Série A2 e garantiu sua presença no Paulistão 2021.

O vexame se justifica por uma crise política iniciada ano passado, que acarretou dívidas do clube e foi agravada na sexta-feira quando jogadores, comissão técnica e funcionários cruzaram os braços e entraram em greve. Afinal eles estão sem receber salários, direitos de imagem e prêmios desde maio.

Para evitar o WO, a diretoria mandou a campo um time de garotos da base. E foi massacrado pelo time gaúcho que levou o jogo a sério. O primeiro tempo terminou 6 a 0. Marcão, Itaqui e Ariel marcaram dois gols cada, com o placar sendo completado por Ramires, Matheus Santana e Tata.

O São Caetano é o lanterna do Grupo A8, com cinco pontos, enquanto o Pelotas chegou aos 15 pontos e divide a liderança com o Joinville, que fez 1 a 0 em cima do Tubarão, e com o Novorizontino, que só vai estar em campo domingo diante do São Luiz, em Ijuí (RS).

A RODADA – A rodada teve sete jogos no sábado, vai ter mais 20 no domingo, três segunda e outro na terça-feira. O Gama continua sendo o time de melhor campanha, chegando aos 25 pontos no Grupo A6 depois de golear o Palmas-TO, por 6 a 1.

Confira os jogos da 9.ª rodada:

Sábado

Globo-RN 1 x 1 Floresta-CE

Bangu-RJ 1 x 0 Toledo-PR

Tubarão-SC 0 x 1 Joinville-SC

Gama-DF 6 x 1 Palmas-TO

São Caetano 0 x 9 Pelotas-RS

Salgueiro-PE 2 x 0 Campinense-PB

Caldense-MG 1 x 0 Bahia de Feira-BA

Domingo

15h – Bragantino-PA x Galvez-AC

Central-PE x Freipaulistano-SE

Brasiliense-DF x Tupynambás-MG

Cabofriense-RJ x Ferroviária

Caxias-RS x Marcílio Dias-SC

Real Noroeste-ES x Aparecidense-GO

15h30 – Juventude-MA x Sinop-MT

15h45 – Altos-PI x Baré-RR

16h – Vilhenense-RO x Fast Clube-AM

Ji-Paraná-RO x Rio Branco-AC

Atlético Cajazeiras-PB x Afogados-PE

União-MT x Goianésia-GO

FC Cascavel-PR x Nacional-PR

16h30 – Jacyobá-AL x Potiguar de Mossoró-RN

17h – São Raimundo-RR x Moto Club-MA

Santos-AP x River-PI

São Luiz-RS x Novorizontino

19h – Águia Negra-MS x Vitória-ES

Mirassol x Portuguesa-RJ

Atlético-AC x Independente-PA

Segunda-feira

15h – ABC x Coruripe-AL

15h30 – Itabaiana-SE x Vitória Conquista-BA

16h – Atlético Alagoinhas-BA x Villa Nova-MG

Terça-feira

15h – Guarany de Sobral-CE x América-RN

04/11

18h – Goiânia-GO x Operário-MT

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel