ISTOÉ Gente

Com covid-19, cantor Cauan está com 60 a 65% dos pulmões comprometidos

Crédito: Reprodução/Instagram

Depois de uma semana internado em um hospital de Goiânia por conta da covid-19, o cantor Cauan Máximo, da dupla com Cleber, está apresentando melhora nos exames, segundo o irmão do sertanejo, Fernando, que é médico. “O Cauan ainda é um paciente muito grave, mas, graças a Deus, houve uma discreta melhora. A tomografia que apresentava 75% de comprometimento pulmonar no sábado, na madrugada de terça-feira, baixou para 60/65%. Os exames de laboratório têm se mantido estáveis. Isso já é uma conquista para a gente”, explicou Fernando no programa Encontro com Fátima Bernardes.

Apesar da melhora, Cauan segue dependendo da oxigenoterapia 24 horas por dia. Fernando também contou que tem tentado ajudar psicologicamente o irmão, que sempre foi muito ativo, e tem se sentido ansioso no leito de UTI. “Eu já passei por isso, tive covid-19 no mês passado, estava na mesma situação, internado na UTI. Eu digo para ele: ‘Irmão, vai para cima, vai dar certo, vamos colaborar com todo o tratamento, e da mesma forma que eu fui curado você vai ser também”.

Além de Fernando, outros membros da família de Cauan foram infectados pelo novo coronavírus. Shirlei, a mãe do cantor, recebeu o diagnóstico nesta quarta-feira, 19, enquanto o pai já estava em tratamento na própria casa.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel