Economia

Com carnes, inflação dos mais pobres sobe bem mais do que a dos ricos, diz Ipea

Por causa dos preços das carnes, a inflação das famílias mais pobres foi de 1,19% em dezembro, contra 0,99% para as famílias de maior poder aquisitivo, mostra o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, divulgado nesta terça-feira, 14, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Com isso, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador de preços calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fechou 2019 em 4,31%, a inflação para os mais pobres ficou em 4,43% no ano passado e a dos mais ricos, em 4,16%.

O Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda decompõe o IPCA por faixas de renda. A faixa mais pobre tem renda domiciliar abaixo de R$ 900 mensais por família. A faixa mais rica tem renda domiciliar acima de R$ 9 mil mensais por família.

Em dezembro, as carnes e os combustíveis foram os vilões da inflação. Por isso, segundo o Ipea, “o aumento de 4,69% nos preços dos alimentos no domicílio foi o principal responsável pelo incremento inflacionário das famílias mais pobres”, enquanto a alta de 1,54% do grupo Transportes foi o principal foco de pressão sobre a inflação das famílias mais ricas.

“Por ser o grupo com maior peso na cesta de consumo das famílias mais pobres, a alta do grupo ‘alimentação e bebidas’ contribuiu com 1,16 ponto porcentual (p.p.) para a inflação desse segmento da população, com destaque negativo para os reajustes de cereais (5,73%), tubérculos (6,4%), carnes (18,1%) e aves e ovos (4,48%)”, diz nota divulgada pelo Ipea.

Embora os ricos também tenham enfrentado a alta nos preços dos alimentos, o peso desses itens na cesta de consumo dessas famílias é menor, reduzindo a aceleração na inflação média.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

“Em contrapartida, os reajustes de 15,6% das passagens aéreas e de 3,57% dos combustíveis geraram uma contribuição do grupo transportes de 0,43 p.p. para a inflação da faixa de renda mais alta”, continua a nota do Ipea.

A inflação de dezembro só não acelerou mais por causa da conta de luz. “A queda de 4,24% do preço da energia elétrica gerou um alívio inflacionário em todas as faixas de renda, limitando uma aceleração ainda maior das taxas de variação apresentadas em dezembro”, afirma a nota do Ipea.

Veja também

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Jack Daniel’s com maçã começa a ser vendido no Brasil

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?