ISTOÉ Gente

Com câncer, marido de Ana Hickmann mostra hematomas da quimioterapia

Crédito: Reprodução/Instagram

Alexandre Correa, marido de Ana Hickmann, está firme e forte fazendo seu tratamento contra o câncer no pescoço. Nesta quarta-feira (25), ele exibiu os hematomas no braço, causados pela quimioterapia. “Marcas na quimioterapia”, explicou ele no Stories do Instagram.

O empresário revelou na rede social a doença no dia 10 de novembro: “Sendo objetivo, dia 27 de dezembro eu estava na casa de uns amigos em Maresias, meu pescoço estava com uma bola, uma elevação. Peguei a família, ano novo com festa programada, sobe a serra, vem pra São Paulo, cheguei no hospital, exame daqui, exame dali, eram linfonódulos. Fiquei três dias em observação, depois de uma semana, dez dias, pescoço retornou ao normal. Em março, eu estava com muita dor de garganta, um gânglio na região. Em maio fizemos uma punção, tiramos material pra biópsia e material foi conclusivo, e o doutor decidiu operar. Em outubro fomos pra mesa de cirurgia, foi um susto grande, porque o que saiu do pescoço era anormal, voltei pro quarto e depois de quatro horas uma artéria do meu pescoço rompeu. Por milagre não fui a óbito. E depois de dois dias veio o diagnóstico”.

Veja a foto dos hematomas de Alexandre: 

Reprodução Instagram

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel