ISTOÉ 2016

Com atraso e protestos, Paes inaugura linha do VLT


Após atrasos e com trechos ainda em obras, a prefeitura do Rio inaugurou nesta manhã a primeira linha do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que circulará pelo Centro da cidade. Uma das obras previstas no projeto de revitalização urbana da região portuária do Rio, o VLT tem apenas oito estações operacionais e funcionará por três horas diariamente até a operação comercial, em julho.

Um grupo de 50 manifestantes protestou contra o projeto em frente à Praça Mauá, onde o prefeito Eduardo Paes (PMDB) foi chamado de ‘golpista’. Ligados a movimentos sociais, os manifestantes também portavam bandeiras do PT e faixas contra o presidente em exercício, Michel Temer, e contra as remoções decorrentes de obras para os Jogos Olímpicos na cidade.

Ao lado do ex-secretário de governo e pré-candidato à prefeitura, Pedro Paulo, o prefeito destacou o “legado” para a cidade com os investimentos feito para a competição. “Isso é um sonho que durante muito tempo vimos na propaganda eleitoral. É o integrador da revolução que fizemos na mobilidade da cidade. Não tem relação direta com a Olimpíada, mas com a integração da cidade”, afirmou Paes durante a inauguração. “O mais legal da Olimpíada não é a festa, mas a jornada até aqui e os benefícios entregues para a cidade”, completou.

Durante o discurso, um manifestante gritou palavras de ordem contra o prefeito, criticando os gastos públicos com as obras. “O Rio está falido”, gritou o manifestante, abafado por aplausos da claque de funcionários da prefeitura.

Apesar da pouca adesão, a manifestação marcada pela internet contra a inauguração fez a prefeitura reforçar a segurança no trajeto do VLT, com viaturas da Polícia Militar, Guarda Municipal e também do Batalhão de Operações Especiais (BOPE).

“Somos contra esse projeto de cidade e o volume de recursos gasto com inversão de prioridades. O VLT atende a uma parcela pequena da sociedade enquanto a maioria da população usa trens velhos na zona Norte”, criticou Gisele Tanaka, do Comitê Popular das Olimpíadas.

Projeto

Na primeira etapa, o VLT terá apenas oito estações em funcionamento entre o aeroporto Santos Dumont e a rodoviária Novo Rio, no Centro da cidade. Na véspera da inauguração, operários ainda trabalhavam no acabamento das estações, instalando vidros e corrimão, além de placas de sinalização para pedestres e motoristas nos cruzamentos com grandes avenidas da cidade.

O risco de acidentes e falhas na sinalização de trânsito levaram o Ministério Público a pedir o adiamento da inauguração na última quinta-feira. O pedido não foi aceito pela Justiça. Para o prefeito, o MP quer que “nada aconteça”.

“Está tudo atendido, todo o sistema de sinalização. A gente sempre dialoga com o MP. Mas tem uma hora que eles querem que nada aconteça. Todas as medidas de segurança foram tomadas, mas a população tem que prestar atenção”, rebateu Eduardo Paes.

Até o dia 1º de julho, o VLT funcionará com apenas oito estações das 12h às 15h, diariamente. A partir daí, será iniciada a operação comercial, com cobrança de tarifa. A previsão da prefeitura é que até agosto todas as 17 paradas estejam operando 24h por dia.


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua