Economia

Cobre opera em alta, apoiado por dados de importação da China

O cobre opera em alta na manhã desta sexta-feira, apoiado pelos números positivos de importação da China. O relatório sobre as compras do país deu novo impulso ao metal, antes do Congresso do Partido Comunista chinês na próxima semana.

Às 7h45 (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,20%, a US$ 6.891 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 7h58, o cobre para dezembro avançava 0,42%, a US$ 3,1330 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

A China informou que suas importações de cobre e derivados tiveram alta de 26% em setembro na comparação com igual mês do ano passado. Como a China é o maior consumidor do metal, os dados da balança comercial beneficiam os negócios.

Agora, há expectativa pelos dados de inflação dos Estados Unidos, nesta manhã, e também pelos números da inflação na China, previstos para segunda-feira. Na próxima semana, o Congresso do Partido Comunista chinês acontece e as notícias que envolvem o evento podem dar o tom para o mercado de metais básicos no restante de 2017.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,28%, a US$ 3.248,50 a tonelada, o alumínio subia 0,84%, a US$ 2.166 a tonelada, o estanho ganhava 0,29%, a US$ 20.780 a tonelada, o níquel tinha alta de 1,62%, a US$ 11.605 a tonelada, e o chumbo recuava 0,70%, a US$ 2.549 a tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tópicos

metais Mundo