Esportes

Clubes negociam com Uefa para evitar criação de Superliga pelo menos até 2024

O presidente da Associação de Clubes Europeus (ACE), Karl-Heinz Rummenigge, revelou nesta terça-feira que tem programadas em sua agenda negociações com a Uefa para evitar a possibilidade de que seja criada uma Superliga independente de clubes na Europa ao menos até 2024.

Duas semanas depois de a entidade que controla o futebol europeu e a ACE entrarem em acordo em relação a cotas e prêmios para os times até a Liga dos Campeões de 2021, o consagrado ex-jogador alemão e dirigente de peso do Bayern de Munique afirmou que logo serão iniciadas as tratativas para o ciclo de três anos que virá depois do que já foi acordado para a principal competição de clubes do futebol europeu.

“Esta é uma espécie de garantia para que os clubes permaneçam unidos sob o guarda-chuva da Uefa”, ressaltou Rummenigge, falando dois dias depois de participar de uma reunião fechada na qual ficou evidente a desunião e o descontentamento de clubes que integram ligas nacionais de segundo escalão do Velho Continente com um acordo financeiro firmado no mês passado. O mesmo contempla as equipes que participam ou vierem a disputar a Liga dos Campeões ou a Liga Europa nas próximas temporadas.

A ameaça da criação de uma liga independente, com a presença de clubes mais ricos ou de maior tradição, sempre ocorre antes da negociação de contratos de transmissão de TV e patrocínio. A receita total dos acordos firmados pela Uefa entre 2015 e 2018 para as disputas da Liga dos Campeões e Liga Europa bate na casa de 2,2 bilhões de euros (cerca de US$ 2,47 bilhões) por ano.

O acordo atual entre a ACE e a Uefa, por sua vez, também irá expirar em 2021. E, de qualquer forma, Rummenigge prometeu nesta terça-feira: “Iremos cooperar no futuro com a Uefa, não há menos dúvida a respeito disso”.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Os 153 clubes que participam deste processo de negociação que tem a Uefa como principal referência esperam um aumento de receitas de 30%, em média, nas próximas edições das competições europeias, projetando um total de 3,2 bilhões de euros (aproximadamente US$ 3,6 bilhões).

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Ticiane Pinheiro posa de maiô decotado e internautas suspeitam de gravidez
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel