Tecnologia & Meio ambiente

Clima: 1% mais rico emite o dobro de CO2 que a metade mais pobre da população

Clima: 1% mais rico emite o dobro de CO2 que a metade mais pobre da população

O 1% mais rico do mundo emite duas vezes mais gases do efeito estufa do que a metade mais pobre da população, de acordo com o relatório da Oxfam - AFP/Arquivos

O 1% mais rico da população mundial emite o dobro de gases do efeito estufa que a metade mais pobre do planeta, afirma um relatório da Oxfam, que pede “justiça social e climática” nos pacotes de estímulo pós-pandemia.

A ONG examinou o período 1990-2015, 25 anos durante os quais as emissões globais de CO2, responsáveis pelo aquecimento de um planeta no qual a média da temperatura subiu 1°C desde a era pré-industrial, aumentaram quase 60%.

De acordo com as análises da Oxfam, “o 1% mais rico da população (quase 63 milhões de pessoas) foi responsável por 15% das emissões acumuladas, ou seja, o dobro em comparação à metade mais pobre da população mundial”.

E os 10% mais ricos da população mundial (630 milhões de pessoas) foram responsáveis por 52% das emissões acumuladas de CO2.

“Nos últimos 20 a 30 anos, a crise climática se agravou e o limitado orçamento global de carbono foi dilapidado para intensificar o consumo de uma população rica, não para tirar as pessoas da pobreza”, denuncia a Oxfam.

E os grupos que “mais sofrem esta injustiça são os menos responsáveis pela crise climática”: os mais pobres e as gerações futuras”, prossegue a ONG, que faz um apelo aos governos de todo o mundo para que retifiquem a situação e coloquem a justiça social e a luta contra a mudança climática no centro dos planos de recuperação econômica para depois da pandemia do novo coronavírus.

“Está claro que o modelo de crescimento econômico muito desigual e emissor de carbono dos últimos 20 a 30 anos não beneficiou a metade mais pobre da humanidade”, declarou à AFP Tim Gore, especialista da ONG.

“É uma dicotomia falaciosa sugerir que temos que escolher entre o crescimento econômico e o clima”, completou.

“A pandemia de covid-19 inevitavelmente trouxe à luz a necessidade de reconstruir melhor e colocar a economia mundial em um caminho mais justo, mais sustentável e mais resistente”, afirma no relatório o ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-moon.

“O compromisso coletivo deve ter como prioridade reduzir as emissões de CO2 da faixa mais rica da sociedade, que contamina de forma desproporcional”, completa.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Vídeo do TikTok com mulher sendo empurrada de ônibus viraliza; veja

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar