Tecnologia & Meio ambiente

Cientistas decifram olhar enternecedor dos cachorros

Cientistas decifram olhar enternecedor dos cachorros

Galgos no Westminster Kennel Club Dog Show, em 26 de setembro de 2017 no Madison Square Garden, em Nova York - AFP/Arquivos

Cientistas acreditam ter entendido como os cachorros fazem para enternecer as pessoas e ganhar seu afeto: dois músculos situados em volta dos olhos os ajudam a ter um olhar triste, uma técnica dominada pelos bebês humanos.

Os pesquisadores explicam que dissecaram cadáveres de cães domésticos e lobos selvagens, em um artigo publicado nesta segunda-feira na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

Os autores comprovaram que os cachorros tinham esses dois músculos bem formados em volta dos olhos, diferentemente dos lobos. Ambos os animais separaram seus caminhos evolutivos há cerca de 33.000 anos.

Em outra parte da pesquisa, os cientistas filmaram interações de dois minutos entre cachorros e um humano que não conheciam, e depois entre lobos e uma pessoa. Somente os cães conseguiram mover o contorno dos olhos com intensidade ao olhar para os humanos.

“Isto os ajudou a aumentar os olhos, como os bebês fazem”, explica à AFP Anne Burrows, professora da universidade Duquesne de Pittsburgh e coautora do estudo. “Isso provoca uma reação de proteção nas pessoas”.

Estudos similares foram publicados anteriormente, entre eles um realizado em 2015 por cientistas no Japão. Este mostrou que a troca de olhares entre os cachorros e seus donos provoca um pico mútuo de oxitocina, o chamado “hormônio do amor”. É a mesma coisa que acontece quando uma mãe e seu bebê se olham.

O estudo publicado nesta segunda analisou os casos de quatro lobos e seis cães domésticos. Seria necessário dissecar mais animais para confirmar os resultados, reconheceram os autores do trabalho.