Tecnologia & Meio ambiente

Cidade italiana bane cigarro e utensílios plásticos

RIMINI, 28 MAR (ANSA) – A cidade de Rimini, na região da Emília-Romanha, no norte da Itália, proibirá, a partir do dia 15 de abril, o uso de recipientes plásticos descartáveis e cigarros. A medida vale por todos os 15 quilômetros de costa adriática e prevê multa de até 50 euros aos infratores. A iniciativa, batizada de “Romagna Plastic Free 2023”, foi promovida pelo Visit Romagna, em acordo com a Prefeitura e com a associação “Basta Plastica in Mare”. Para a proteção do meio ambiente, Rimini já investiu “200 milhões de euros para reformar as redes de esgoto”, de acordo com o prefeito Andrea Gnassi. “Hoje dizemos ‘não’ ao plástico no mar, queremos nos tornar a primeira região e a primeira ‘riviera’ sem plástico”, declarou Gnassi.   

Desde 2016, os pescadores locais têm à disposição caixas para depositar resíduos plásticos acidentalmente capturados no mar.   

Em breve, haverá quatro barcos da Marinha local para auxiliar a coleta de lixo. Com isso, os caixotes de poliestireno que costumavam ser utilizados para a pesca foram banidos.   

As medidas ambientais em Rimini, porém, vão além do mar e das praias: as merendas escolares usarão apenas louças de barro e, há um mês, já foi proibido o uso de confetes plásticos ou plastificados em áreas públicas. A “revolução” ecológico já contagiou outras estâncias turísticas na Itália. No ano passado, o prefeito das Ilhas Tremiti, Antonio Fentini, ordenou a proibição de pratos descartáveis plásticos na praia, com multas para infratores de 50 a 500 euros.   

Plásticos como pratos, copos, canudos, mas também pontas de cigarro e bastões para balões constituem 70% do lixo marinho, uma porcentagem que, nos mares italianos, sobe para 95,7%, sendo 43% apenas no centro e norte do Adriático.   

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Mais de 300 toneladas foram interceptadas em quatro meses no rio Pó, que desagua no Mar Adriático, através de barreiras flutuantes -porque interceptar o lixo antes de chegar ao mar facilita a reciclagem e limita a poluição-. As barreiras são um projeto do “Il Po d’AMare”, elaborado pela Fundação para o Desenvolvimento Sustentável e pelo consórcios Corepla (para a recuperação de plásticos) e Castalia (recolha de resíduos flutuantes).   

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ A Fazenda: influenciadora digital Marina Ferrari é confirma na lista de participantes

+ Filhos de Luciano Huck esquecem o texto em homenagem ao pai

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?