Mundo

Choques com forças de segurança deixam 3 mortos em Bagdá

Choques com forças de segurança deixam 3 mortos em Bagdá

Manifestantes antigovernamentais iraquianos colidem com forças de segurança na rua al-Rasheed, perto da ponte al-Ahrar - AFP

Três manifestantes morreram nesta sexta-feira em confrontos com forças de segurança em pontes que levam a importantes instituições em Bagdá, segundo fontes médicas, aumentando o número de mortos para mais de 340 em dois meses de protestos contra o governo.

Dois manifestantes morreram após serem baleados, disseram essas fontes. A terceira vítima sucumbiu a uma granada de gás lacrimogêneo, uma arma química denunciada no Iraque por ser de tipo militar e dez vezes mais agressiva que a usada em outras partes do mundo.

Além disso, trinta manifestantes ficaram feridos, segundo a mesma fonte.

Desde o início de 1º de outubro do primeiro movimento de protesto espontâneo no Iraque, mais de 15.000 pessoas ficaram feridas em Bagdá e no sul do país, onde a população exige a reconstrução do sistema político e a renovação da classe política no poder.

Na capital iraquiana, os manifestantes ocupam a emblemática Praça Tahrir dia e noite e montaram acampamentos em três pontes – Al Jumhuriya, Senek e Al Ahrar – que levam à Zona Verde, onde o parlamento e embaixadas dos Estados Unidos e do Irã estão localizados.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior