Esportes

Cheia de dúvidas e sob pressão, Argentina enfrenta Paraguai na Copa América

O craque Lionel Messi deixou claro: “Só devemos pensar em vencer”. A Argentina vai enfrentar o Paraguai nesta quarta-feira com a obrigação de reagir na Copa América após a decepcionante estreia diante da Colômbia, mas está cheia de dúvidas.

A derrota de 2 a 0 do último sábado exige mudanças na equipe do jovem técnico Lionel Scaloni para o segundo jogo no Grupo B, no estádio Mineirão de Belo Horizonte que começa às 21h30 (horário de Brasília) de quinta-feira.

Isolado em campo, Messi voltou a sofrer com a camisa 10 que já foi vestida por Diego Armando Maradona.

Isso levou a sérios questionamentos em torno dos jogadores icônicos do time: Sergio Agüero e especialmente Ángel Di María.

Os dois seriam os mais atingidos na equipe titular ‘albiceleste’, de acordo com os treinos comandados por Scaloni nesta terça-feira na Cidade do Galo, com quatro possíveis novidades: Milton Casco, Roberto Pereyra, Rodrigo De Paul e Lautaro Martínez.

O treinador de 41 anos fez suspense na coletiva de imprensa, mas admitiu que estuda “mudanças”.

“Está claro para nós como vamos jogar”, mas até quarta-feira “não vamos dizer, porque há jogadores que não estão 100%”, comentou Scaloni. Um deles é Pereyra, que na segunda-feira fez um trabalho diferenciado com portas fechadas e na terça-feira treinou normalmente com os demais companheiros.

O Paraguai, comandado por Eduardo Berizzo, também precisa da vitória já que em seu primeiro jogo desperdiçou uma vantagem de 2 a 0 e acabou empatando em 2 a 2 com o convidado Catar. Vencer o anfitrião da Copa do Mundo de 2022 estava nas contas para buscar a classificação às quartas de final.

– O fator Lo Celso –

O atacante Paulo Dybala, por enquanto, não aparece nas mudanças planejadas por Scaloni.

Além dos nomes, o técnico da Argentina também planeja mudanças de funções, com as atenções voltadas para um homem que pode ser chave para que a Argentina se reerga: Giovani Lo Celso.

Apesar de sua conexão ter falhada na fracassada estreia da Albiceleste em Salvador, Lo Celso segue sendo uma esperança quando se fala em parceiros para Messi. Potencializar sua entrada em jogo, colocando o jogador em sua zona natural no circulo central, talvez ative o astro do Barcelona.

“A ideia talvez seja de colocar Gio em outra posição, onde se sinta mais à vontade e a equipe o encontre em melhores posições”, reconheceu Scaloni.

A pressão é grande. O último grande título da bicampeã mundial Argentina foi comemorado há 26 anos, na Copa América do Equador em 1993, e os ecos das finais perdidas para o Chile em 2015 e 2016 ainda são sentidos.

Nesta terça-feira, após os treinos, Messi e os líderes do elenco encabeçaram uma reunião com Scaloni. “Falamos de como podemos melhorar”, disse o zagueiro Juan Foyth.

– Fiel a uma ideia –

O Paraguai, sob o comando de Eduardo Berizzo, deixou escapar uma oportunidade perfeita de somar três pontos contra o Catar.

Oscar ‘Tacuara’ Cardozo de pênalti e Derlis González haviam aberto o placar mas os campeões da Ásia conseguiram empatar.

Berizzo garante que sua equipe está “recuperada” emocionalmente após esse golpe.

O técnico, que assumiu em fevereiro passado com o objetivo de reerguer uma seleção que ficou fora das últimas duas edições da Copa do Mundo (Brasil-2014 e Rússia-2018) prometeu na terça fidelidade a suas ideias independentemente das novidades que a Argentina apresentar.

“O que acontecer do outro lado pouco importa”, comentou o técnico na coletiva de imprensa.

O capitão do Paraguai, o zagueiro central Gustavo Gómez, será a novidade depois de ter cumprido uma suspensão que vinha desde o final das eliminatórias para a Copa e é importante para reorganizar a defesa.

“Vamos entrar com muita atitude e tentar impor muita intensidade (…), e tomara que isso nos traga um resultado positivo”, disse Gómez.

Derlis González se apresenta como alternativa ofensiva.

– Prováveis escalações:

Argentina: Franco Armani – Milton Casco, Germán Pezzela, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico – Roberto Pereyra, Leando Paredes, Giovani Lo Celso, Rodrigo De Paul – Lionel Messi, Lautaro Martínez. Técnico: Lionel Scaloni.

Paraguai: Roberto Fernández – Bruno Valdez, Fabián Balbuena, Gustavo Gómez, Junior Alonso – Celso Ortiz, Rodrigo Rojas – Derlis González, Miguel Almirón, Cecilio Domínguez – Oscar Cardozo. Técnico: Eduardo Berizzo.

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil).

erc/ma/aam