Esportes

Chegada de tufão ao Japão antecipa programação de finais no surfe em Tóquio

Crédito: Miriam Jeske

Um tufão, que deve chegar a Tóquio no início da próxima semana, está afetando a organização de algumas provas dos Jogos Olímpicos, especialmente as disputas de remo, que teve de reprogramar “por precaução” as competições desta segunda-feira. Além da modalidade, as finais do surfe também fora reagendadas para o começa da noite desta segunda-feira (26).

Disputam as quartas os brasileiros Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Silvana Lima. A gaúcha Tatiana Weston-Webb foi eliminada durante a madrugada.

Segundo a Agência Meteorológica Japonesa, o tufão Nepartak, cujas rajadas podem chegar a 90 quilômetros por hora, esteve neste sábado a cerca de 1.800 quilômetros ao sul de Tóquio. O problema é que ele se move na direção da cidade-sede dos Jogos, com previsão de chegar à capital antes de terça.

Os organizadores das provas de remo, por exemplo, marcadas para até a próxima sexta-feira, alteraram seu cronograma, acrescentando as disputas agendadas no calendário olímpico para segunda no grupo de etapas deste fim de semana. Há previsão de “ventos fortes e rajadas”. Os especialistas observam e acompanham a movimentação do fenômeno.

A Federação Internacional de Vela (World Sailing), que por enquanto mantém todas as suas regatas deste domingo, alertou que “as provas de 26 a 28 de julho podem ser afetadas também” por esse tufão, classificado na última sexta-feira como de nível 8.

Os tufões são um tipo de ciclone tropical. Sua diferença para os furacões é de que ocorrem no Oceano Pacífico Ocidental, enquanto que os furacões são os ciclones tropicais do Oceano Atlântico Ocidental e no Pacífico Oriental. Quando ocorrem em outras regiões, o termo ciclone é utilizado de forma generalizada.

“Ao contrário de um terremoto, podemos adivinhar a trajetória de um tufão, o que permite que nos preparemos com antecedência”, garantiu Masa Takaya, porta-voz de Tóquio-2020, acrescentando que os Jogos Olímpicos “tomarão medidas responsáveis”.

A temporada de tufões no Japão vai aproximadamente de maio a outubro, com picos em agosto e setembro. No passado, essas violentas tempestades já atrapalharam os eventos esportivos no país, como aconteceu em 2019, quando o tufão Hagibis atingiu o Japão no momento em que sediava o Mundial de Rúgbi. Matou mais de 100 pessoas e obrigou os organizadores do torneio a cancelarem três partidas da fase de grupos.

Veja também
+ Corpo de jovem desaparecido é encontrado em caçamba de lixo
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Vídeo: família é flagrada colocando cabelo na comida para não pagar a conta
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio