ISTOÉ Gente

Chega ao fim processo de pai de Cristiano Araújo contra Zeca Camargo

Crédito: Reprodução/ Instagram

Zeca Camargo e Cristiano Araújo (Crédito: Reprodução/ Instagram)

O cantor Cristiano Araújo, vítima de um acidente de carro, morreu aos 29 anos em 2015. Logo após a notícia, o apresentador Zeca Camargo fez uma declaração em uma de suas crônicas, criticando o luto pela morte do cantor. Ele foi processado pelo pai do músico, João Reis de Araújo.

Na época, o comentário de Zeca dizia “A surpresa maior, porém, é o fato de ele ser ao mesmo tempo tão famoso e tão desconhecido. O que realmente surpreende nesse evento triste da semana foi a comoção nacional. De uma hora para outra, fãs e pessoas que não faziam ideia de quem era Cristiano Araújo partiram para um abraço coletivo (…). Ao nos mostrarmos abalados com a ausência de Cristiano, acreditamos estar de fato comovidos com a perda de um grande ídolo. Todos sabemos que não é bem assim”.

+ Ana Maria Braga pede desculpas por “ofender cultura baiana” com receita de acarajé

+ Atrizes fazem campanha por doação de sangue para Gésio Amadeu; ator está com Covid-19

+ Luana Piovani toma banho de mangueira no quintal de casa

A batalha judicial começou em 2015, em que a C.A. Produções Artísticas pedia R$ 60 mil de indenização a Zeca. O pai do cantor afirmou que metade desse valor iria para caridade. Em 2018, o apresentador foi condenado pela primeira vez e, mesmo recorrendo, continuou com a condenação mantida. Em outubro de 2019 Zeca Camargo desistiu, e entrou em acordo com a família de Cristiano Araújo. Os detalhes sobre os valores não foram divulgados, segundo informações do Notícias da TV.

Veja também

+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior