Mundo

Chefe do Acnur destaca solidariedade latino-americana em êxodo de venezuelanos

Chefe do Acnur destaca solidariedade latino-americana em êxodo de venezuelanos

O alto comissário da ONU para os refugiados, Filippo Grandi, em Lima, em 11 de outubro de 2018 - AFP

O alto comissário da ONU para os refugiados, Filippo Grandi, destacou nesta quinta-feira (11) a solidariedade latino-americana diante da crise humanitária causada pelo êxodo dos venezuelanos, em contraste com o que acontece na Europa com as ondas migratórias.

“Eu tenho que dizer que em comparação com o que eu vi em outras partes do mundo, incluindo a Europa, aqui (na América Latina) a solidariedade (com os refugiados) é muito forte”, disse Grandi em Lima.

“Tem existido uma solidariedade incrível (…), estive em Cúcuta (fronteira Venezuela-Colômbia), onde há literalmente milhares de pessoas (saindo da Venezuela) e hoje (quinta-feira) vou para Tumbes (fronteira Equador-Peru) e entendo que é semelhante, os moradores estão abrindo os braços” aos migrantes venezuelanos, continuou.

Grandi falou com alguns jornalistas, incluindo da AFP, após se reunir com o chanceler peruano Nestor Popolizio em Lima, antes de viajar para Tumbes como parte de uma viagem por nações sul-americanas que receberam ondas de venezuelanos que fogem da crise econômica e política em seu país.

Mais de 2,3 milhões de venezuelanos vivem no exterior (7,5% da população). Destes, mais de 1,6 milhão deixaram o seu país desde 2015 com o agravamento da crise.

Cerca de 90% dos migrantes têm como alvo países da América Latina, segundo dados do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) e a Organização para as Migrações (OIM). No Peru chegaram mais de 400 mil, segundo dados oficiais peruanos.