Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

ROMA (Reuters) – A centro-esquerda da Itália conquistou a maioria de um conjunto de eleições em segundo turno dos pleitos locais, mostraram resultados nesta segunda-feira, superando a centro-direita em várias cidades onde o bloco tem sido historicamente favorito.

A votação realizada no domingo é o último teste eleitoral para o amplo espectro de grupos políticos do país antes das eleições parlamentares do próximo ano, quando o partido predominante decidirá quem deve substituir Mario Draghi como primeiro-ministro.

“Este resultado nos fortalece para o futuro, na construção de um bloco de centro-esquerda que será vencedor também em nível nacional, nas eleições políticas do próximo ano”, disse o líder do Partido Democrático da Itália, Enrico Letta, no domingo, expressando grande satisfação pelo “resultado extraordinário”.

Cidadãos de toda a Itália votaram em 65 cidades, incluindo 13 capitais provinciais e regionais, embora apenas 42% dos mais de 2 milhões com direito a voto tenham votado em um tórrido domingo de junho.

O Partido Democrático conquistou a maior parte das capitais provinciais e regionais onde nenhum candidato a prefeito obteve 50% dos votos há duas semanas, incluindo as cidades de Parma, Alexandria, Monza –onde mora o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi– e a cidade sulista de Catanzaro.

Em Verona, tradicionalmente um bastião da centro-direita, o ex-jogador de futebol Damiano Tommasi, apoiado pelo Partido Democrático e pelo Movimento 5 Estrelas, conquistou a vitória após 15 anos de governo de centro-direita.

(Reportagem de Giulia Segreti)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI5Q0HI-BASEIMAGE