Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Apesar de ter revelado preferir treinar com portões fechados, Rogério Ceni avaliou a presença de mais de 21 mil torcedores no Morumbi neste sábado como uma retribuição ao que a torcida do São Paulo tem feito pelo time. Em conversa após o treinamento, Ceni disse esperar que os atletas entrem em campo para a decisão do título paulista contra o Palmeiras, neste domingo, com este calor da torcida em mente.

“Viemos aqui treinar a pedido da torcida, pelo simples fato da média de público excepcional, eles nos acolheram com muito carinho. Eu prefiro os treinos fechados no sentido do jogador ter mais concentração. Fizemos um treino mais objetivo, de uma hora, mais em retribuição a todo o apoio que o torcedor deu para a gente. É importante poder levar esse calor e essa última impressão do apoio do torcedor, já que nós não teremos a presença da torcida, assim como o Palmeiras não teve aqui”, disse o treinador são-paulino.

“Em treinamento fechado você tem a chance de falar mais próximo, o jogador te ouve mais. É importante para o atleta sentir a presença de espírito do torcedor. Que eles levem esta imagem de que eles são a esperança de muita gente. Esses treinos servem para unir torcida e atletas”, explicou.

Em fevereiro, quando o São Paulo vivia uma oscilação de resultados, Rogério Ceni chegou a fazer um desabafo ao cobrar melhoras. De lá para cá, não só os resultados são mais positivos, como o apoio da torcida também aumentou. O ex-goleiro disse que enxerga nesta equipe o mesmo espírito que tinha quando entrava em campo pelo clube do Morumbi.

“Não falo da boca para fora, sei o quanto será difícil ficar no jogo, focar no jogo e terminar campeão. Só quer a melhora de um clube aquele que viveu e tem uma história. As falas são no sentido que o time se aprimore, se modernize. Se quer ter sucesso, você precisa trabalhar por ele”, declarou o treinador.

“O time tem desejo de vencer, vontade de competir o tempo todo, alegria pela vitória. Eu vivia intensamente o clube a cada jogo quando atleta, queria estar em todas as partidas. Eu vejo isso neles hoje, eles têm prazer em disputar o título, prazer em competir. Não adianta você querer a vitória, você tem que se preparar para isso”, completou Ceni.

Como era de se esperar diante dos portões abertos, Rogério Ceni não deu indícios de qual será o time titular. O atacante Eder participou apenas da primeira parte da atividade de uma hora e depois foi poupado. Ceni explicou o motivo.

“As trocas são padrões mesmo. Quando você faz alguma função muito desgastante, normalmente são as trocas que acabamos fazendo. Ele participou do início do trabalho, mas escolhemos preservar, resolvemos dar um pouco mais de recuperação para analisar amanhã se é viável começar com ele ou se escolheremos outro jogador para esta função”, finalizou.

Durante a entrevista, Rogério Ceni ainda afirmou que seu planejamento para o futuro é uma classificação para a Libertadores em 2023. O foco do treinador é o Campeonato Brasileiro, no qual Ceni acha difícil o São Paulo brigar por título. Nas outras competições (Copa do Brasil e Copa Sul-Americana), segundo o treinador, o time pode crescer e passar a brigar pela taça.

São Paulo e Palmeiras decidem o título do Paulistão no domingo, a partir das 16 horas, no Allianz Parque. Como o time tricolor venceu o jogo de ida, no Morumbi, por 3 a 1, os palmeirenses precisam de uma vitória por vantagem de três ou mais gols para conquistar o título no tempo regulamentar. Caso vença por dois gols de diferença, leva a decisão aos pênaltis.