Comportamento

Cemitério sagrado

O Egito anuncia pela primeira vez uma descoberta arqueológica pela internet. Sarcófagos e animais raros mumificados revelam histórias milenares

Crédito:  Ministério de Antiguidades do Egito

ONLINE Um vídeo postado no Youtube mostra os objetos milenares sendo encontrados (Crédito: Ministério de Antiguidades do Egito)

Nestes tempos tão impactados pela crise do novo coronavírus, o Egito comemora uma descoberta e tanto em um de seus milenares sítios arqueológicos, o Necrópole de Animais Sagrados, ao norte de Saqqara, que na antiga cidade de Mênfis era usado para sepultar os animais considerados divinos. Atualmente a região fica a aproximadamente 30 quilômetros ao sul do Cairo. Após três meses trabalhando em escavações, pesquisadores descobriram importantes artefatos do Egito Antigo. Nos últimos dois anos, houve outras duas descobertas na região, mas nenhuma como esta: o túmulo do sacerdote Wahti, um sarcófago todo adornado com imagens e envolto por uma caixinha com pássaros e outros animais mumificados, descobertas raras até mesmo para o país que já conta com uma vasta coleção do seu remoto passado.

Ao menos outros cinco caixões de pedra selada foram descobertos com escritos em hieróglifo e quatro sessões internas de um salão funerário onde foram colocados caixões de madeira do Período Tardio, que vai de 712 a 332 a.C. Um deles, com forma humana, estava acompanhado de 365 ushabtis, que são pequenas estátuas que os egípcios enterravam para servir ao morto. Além deles, um obelisco de madeira de 40 cm de altura, com seus quatro lados adornados com cenas das divindades Ísis, Hórus e Néftis, além de uma estátua da divindade Ptah-Sokar-Osíris. E não foi só isso. Os arqueólogos catalogaram cerâmicas novas na região, como três vasos canópicos, que eram recipientes nos quais os povos depositavam as vísceras retiradas do morto no processo de mumificação. Algumas das famosas máscaras mortuárias colocadas nos caixões dos egípcios nobres e adornos de corpo como um largo colar, foram descobertas e estão passando por análises técnicas mais detalhadas.

O Período Tardio, que sucede o 3o Período Intermediário (1070-712 a.C) e antecede a Era Ptolomaica (332-30 a.C), é considerado o último no qual os egípcios governavam seu território e marca o seu declínio após anos desse longo e fascinante império. A era é caracterizada por invasões de diversos povos, de reis núbios do sul, assírios e persas. Em 525 a.C., o país é conquistado pelo Império Persa e então passa a ser governado por diversas nações, até sucumbir ao Império Romano.

DETALHES Os ornamentos dos sarcófagos refletem a valorização dos mortos que pertenciam às classes mais altas e contém símbolos como deuses e animais divinizados. Um grande colar ornamentado, máscaras mortuárias e túmulos de pedra estão entre os artefatos revelados

Função divina

Os sacerdotes tinham um papel de muito prestígio na civilização do Egito Antigo, por isso seus túmulos são verdadeiras obras de arte. Para se ter ideia, todas as pessoas pertencentes a classes sociais abastadas tentavam ser sacerdote de um deus no templo. Afinal, a função os tornava funcionários da realeza e representantes dos faraós. De caráter divino, eles faziam rituais aos deuses e eram responsáveis pela gestão dos templos e dos amuletos, escreviam fórmulas mágicas e mediam o tempo. Outra curiosidade é a relação que os antigos egípcios tinham com os animais, considerados verdadeiros representantes dos deuses na terra. Isso explica a presença de alguns deles mumificados junto ao sacerdote — na época, alguns eram preservados vivos em santuários. Por esse motivo, eles também eram representados de diversas formas, como em desenhos nos túmulos das múmias. Um dos caixões de madeira encontrados recentemente, por exemplo, estava repleto de representações de cachorros e cavalos.

A pandemia do coronavírus trouxe novidades até para as escavações egípcias. Essa foi a primeira descoberta arqueológica anunciada online. Publicado no canal do Youtube do Ministério do Turismo e Antiguidades do país, o vídeo com uma trilha sonora de aventura mostra o momento no qual o pesquisador retira com um pincel a terra sobre o caixão: “Essa escavação acabou de ser descoberta. Que dia de sorte. Parece que é um sarcófago de madeira, nós podemos ver que ele foi pintado, bem decorado”, disse Mostafa Waziri, Secretário Geral do Supremo Conselho de Antiquidades que conduz a filmagem. A publicação faz parte de um plano do país de atrair turistas e ampliar as visitações quando a pandemia passar.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel