Tecnologia & Meio ambiente

Cemitério de Mônaco entra na era digital às vésperas do dia de finados

Cemitério de Mônaco entra na era digital às vésperas do dia de finados

Flores são deixadas na sepultura do ex-primeiro-ministro húngaro Imre Nagy, em Budapeste, no dia 23 de outubro de 2016 - AFP

O principado de Mônaco equipou seu cemitério com dispositivos que permitem geolocalizar as sepulturas, anunciou a prefeitura local, a uma semana do dia de finados.

“É muito inovador”, afirmou Evelyne Folco, chefe do departamento de área comum. “Há uma atualização constante. Se contarmos com conexão para os telefones celulares, é como um GPS, graças a antenas instaladas no cemitério e a um software”, disse.

Os dispositivos interativos estão conectados a um site de geolocalização. “Se pesquisarmos por exemplo o sobrenome ‘Durand’, nos aponta o caminho de acesso ao seu túmulo”, acrescentou Folco.

A prefeitura detalha que o aplicativo pode ser baixado em vários idiomas.

O principado de Mônaco têm apenas cerca de 40.000 habitantes, mas seu cemitério é “muito extenso e em diferentes níveis”, disse Folco. Apenas os monegascos e os residentes legais têm direito a ser enterrados no local.