Mundo

Celebrações do ‘Dia da República’ devem ser canceladas

ROMA, 22 MAI (ANSA) – Em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), a Itália deverá cancelar as celebrações em homenagem ao Dia da República, comemorado anualmente em todo dia 2 de junho.   

Na cidade de Roma, as celebrações ocorrem tradicionalmente no Altar da Pátria e nos Fóruns Imperiais, onde é realizada uma parada militar. No entanto, em decorrência da Covid-19, os festejos do 74º aniversário da proclamação da República Italiana não deverão ser realizados. Apesar de ainda não ser oficial, as possíveis medidas para a data estão sendo discutidas entre o departamento de Defesa, que é responsável pela organização da “Revista Militar, e o Palácio do Quirinale, sede da Presidência da República da Itália, em Roma.   

A Itália estuda em celebrar a data do mesmo modo como foi no Dia da Libertação. O feriado, que é um dos mais importantes do país, é comemorado normalmente com muitos eventos, concertos e exposições. No entanto, por causa da emergência da Covid-19, a celebração deste ano não teve pela primeira vez nenhuma marcha, manifestação ou discursos públicos.   

Em 2 de junho, o presidente da Itália, Sergio Mattarella, deverá prestar uma homenagem quase solitária no Túmulo do Soldado Desconhecido, que reúne os restos mortais de militares que morreram em combate e não tiveram a identificação realizada.   

Como aconteceu no Dia da Libertação, o sobrevoo do Frecce Tricolori, a equipe de demonstração acrobática da Força Aérea Italiana, deve encerrar a cerimônia. Já a possibilidade da presença – apenas simbólica e representativa – de alguns homens das Forças Armadas não está completamente excluída.   

A Festa da República é uma das principais datas do calendário italiano e relembra o referendo de 1946 no qual o país optou por um novo regime após o a Segunda Guerra Mundial.(ANSA)