Esportes

CBF diz que Brasil tem experiência necessária para ser sede do Mundial Feminino

Crédito: Divulgação

A CBF afirmou nesta terça-feira, horas depois de a Fifa anunciar os nove países candidatos – número recorde segundo a entidade mundial -, que o Brasil tem totais condições para ser sede do Mundial Feminino de 2023 e a experiência de ter recebido recentemente eventos deste porte – como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016 – credencia o país para se candidatar a organizar pela primeira vez na história a competição.

“Não é de hoje que o futebol move os brasileiros e desperta seus sonhos. Mais do que isso, é um importante componente da nossa economia. Por isso, vamos nos candidatar a todos os grandes eventos disponíveis do futebol. A Fifa tem absoluta confiança na nossa capacidade operacional e a prova foi a escolha do Brasil como sede da Copa do Mundo Sub-17 na última semana”, afirmou o diretor executivo de Gestão da CBF, Rogério Caboclo, que se tornará presidente da entidade no próximo mês.

Além do Mundial Sub-17, que seria no Peru e passou para o Brasil, o País receberá neste ano a Copa América, de 14 de junho a 7 de julho em cinco cidades – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador.

Outra aposta da CBF para a candidatura brasileira é o grande sucesso do futebol feminino durante os Jogos Olímpicos de 2016, que mobilizou grande número de torcedores para acompanhar as jogadoras da seleção. “O futebol feminino passa por um momento de franca expansão, a CBF tem feito investimentos importantes para melhorar o calendário, as competições, as estruturas e a divulgação da modalidade. Temos que aproveitar os excelentes equipamentos espalhados pelo país e a vinda da Copa do Mundo teria um efeito muito positivo para isso”, concluiu Caboclo.

Além do Brasil, estão na disputa África do Sul, Argentina, Austrália, Bolívia, Colômbia, Coreia do Sul e do Norte, Nova Zelândia e Japão. Os países candidatos terão até o próximo dia 16 de abril para submeter os seus projetos à Fifa. As vistorias de instalações dos países candidatos terão início em novembro e dezembro deste ano. A escolha do país sede será realizada em março de 2020.

A edição de 2023 do Mundial terá 24 seleções, seguindo o formato adotado no Canadá, em 2015, e que será jogado neste ano na França – com seis grupos de quatro equipes casa, sendo 52 jogos no total. O Brasil está no Grupo C e estreia no dia 9 contra a Jamaica. Quatro dias depois, enfrenta a Austrália. E encerra a participação na primeira fase diante da Itália, no dia 18.