Cultura

Categorias trazem concorrentes fortes e em grande número

As outras categorias prometem boas disputas na entrega do Grammy Latino, em 15 de novembro. Na competição de álbum do ano aparece o colombiano novo papa do reggaeton J Balvin (com o álbum Vibras) concorrendo, dentre outros, com Caravanas, de Chico Buarque, Salvavidas de Hielo, de Jorge Drexler, Siguiente, de El David Aguilar, e México por Siempre, de Luis Miguel.

Em gravação do ano, a música É Fake, de Anaadi, concorre com No Vaya a Ser (Pablo Alborán), Mi Gente (J Banvin com Willy William), Internacionales (Bomba Stereo), Telefonía (Jorge Drexler), Para Siempre (Kany Garcia), Danza De Gardenias (Natalia Lafourcade junto com Los Macorinos), Bailar Contigo (Monsieur Periné) e Malamente (Rosalía).

A categoria de melhor álbum instrumental, categoria na qual o Brasil sempre se dá bem, estão os álbuns Recanto (de Yamandu Costa), Jacob 10zz (Hamilton de Holanda), Aluê (de Airto Moreira) e No Mundo dos Sons (com o grupo de Hermeto Pascoal). Outra categoria focada em Brasil é o de melhor disco de MPB. Quem concorre são trabalhos de gigantes, como Mano Que Zuera, de João Bosco; Caravanas, de Chico Buarque; Edu, Dori e Marcos, de Edu Lobo, Dori Caymmi e Marcos Valle; Campos Neutrais, de Vitor Ramil; e Deus é Mulher, de Elza Soares. No pop brasileiro, Anaadi terá como rivais Erasmo Carlos (Amor é Isso), Iza (Dona de Mim) Ana Vilela e Xenia.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.