Geral

Caso Guilherme: Sete pistolas da PM são apreendidas pela polícia

Crédito: Reprodução/ Redes Sociais

A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo entregou ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) sete pistolas de suspeitos de participarem da morte do adolescente Guilherme Silva Guedes, de 15 anos. As informações são do jornal Agora.

A arma do sargento Adriano Fernandes de Campos, 41 anos, também foi entregue. Ele está preso desde o último dia 17, acusado de participação na morte do adolescente.


De acordo com o laudo necroscópico do corpo da vítima, Guilherme foi morto com dois tiros na cabeça. A polícia aguarda a conclusão de outro laudo, com o qual irá apurar de qual arma partiu os tiros que mataram o adolescente.

Segundo a corregedoria, duas das pistolas calibre ponto 40 são de policiais do CPA/M6 (Comando de Policiamento de Área Metropolitana 6), do ABC. Outras duas são de agentes do 22º Batalhão, e três do 3º Batalhão da PM. Os batalhões ficam na zona sul da capital paulista, onde o jovem foi visto pelo última vez com vida.

Guilherme foi sequestrado na madrugada do último dia 14 na zona sul de São Paulo e encontrado morto no dia seguinte em Diadema, cidade da região metropolitana.

As suspeitas contra o sargento Adriano surgiram quando os investigadores obtiveram imagens de uma câmera de segurança da rua onde o garoto desapareceu no fim de semana. A gravação mostra dois homens armados no mesmo local onde Guilherme desapareceu, nas imediações da casa da avó.

O PM preso nega participação no crime. Além do sargento, o departamento de homicídios tenta identificar um segundo suspeito pelo assassinato, que aparece nas imagens.