Esportes

Casagrande vê como ‘covardia’ demora para posicionamento de jogadores da Seleção Brasileira

Comentarista questionou o manifesto preparado por jogadores da Seleção Brasileira sobre a realização da Copa América no Brasil

Casagrande vê como ‘covardia’ demora para posicionamento de jogadores da Seleção Brasileira

 

Casagrande não aprovou a preparação de um possível manifesto de jogadores da Seleção Brasileira sobre a realização da Copa América no Brasil. O comentarista da Globo, nesta segunda-feira, classificou como “covardia” a posição dos atletas e ainda cobrou “atitude de homem” para resolver a questão.
+ Confira a classificação das Eliminatórias Sul-Americanas!


– Manifesto? Esquece, gente. Ou joga ou não joga. Esquece esse negócio de ‘vamos jogar, mas somos contra isso’. Toma uma atitude de verdade, de homem. Covardia. Isso que os jogadores vão fazer é uma covardia. O Brasil estava precisando de uma atitude de homem e de peso da seleção brasileira. O Brasil está numa crise sanitária enorme, e não é por causa do [Rogério] Caboclo que não queremos a Copa América aqui. Ele é outro problema – desabafou no programa “Globo Esporte”.

Em seguida, também repudiou o ataque sofrido por Tite nos últimos dias. No domingo, o técnico foi chamado de “hipócrita” e “puxa-saco de Lula” por Flávio Bolsonaro.

– Acho uma covardia o que estão fazendo com o Tite. Hoje o Flávio Bolsonaro gravou um vídeo acusando o Tite, jogando ele no meio da arena com os leões. Injustiça. O Tite é o treinador da seleção brasileira, foi unânime lá atrás. Está em 1° nas Eliminatórias. Qual o motivo de fazer isso com o Tite? É covardia – completou.

Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Por fim, relembrou as recentes acusações de assédio envolvendo figuras relevantes no cenário futebolístico brasileiro.

– Sobre o Caboclo: está pipocando muita coisa no futebol brasileiro, né? Tem essa situação do Neymar, que a gente não sabe… tem o Robinho condenado na Itália e agora o Caboclo sendo acusado. É muita coisa de assédio e de machismo dentro do futebol brasileiro. E isso é só a ponta do iceberg – concluiu o comentarista.

Em maio, Casagrande foi chamado de “viciado” por um dirigente do Atlético-GO ao criticar a vacinação de atletas do Dragão após um confronto pela Sul-Americana.