Esportes

Casa Brasil em Moscou vai custar R$ 12 mi e Cultura gastará mais R$ 3 mi em shows


Uma antiga cervejaria de 3 mil metros quadrados, perto do Kremlin e às margens do Rio Moscou, vai abrigar a Casa Brasil, na Rússia, durante a Copa do Mundo de 2018. A montagem do espaço, que terá ações de promoção do País e visa divulgar os atrativos turísticos, culturais e esportivos do Brasil, custará R$ 12 milhões. A expectativa dos organizadores é a de que o local receba até 150 mil pessoas nos 30 dias do Mundial, entre 14 de junho e 15 de julho. Pelo menos 90% deverão ser estrangeiros.

O projeto da Casa Brasil está sendo tocado pela agência de publicidade Vivid Brand, do grupo Publicis, que tem a CBF na sua carteira de clientes. Os R$ 12 milhões investidos para a montagem do local virão de patrocinadores, bilheteria e venda de bebidas e comidas. O Ministério da Cultura investirá mais R$ 3 milhões em apresentações artísticas que acontecerão na Casa Brasil e em outros espaços de Moscou.

A reportagem do Estado apurou que a CBF cogitou a possibilidade de participar do projeto da Casa Brasil – diretores da entidade chegaram a participar de reuniões sobre o tema, mas desistiram da ideia depois do sorteio dos grupos da Copa do Mundo, realizado em dezembro do ano passado. Assim, a entidade passou a servir apenas como “ponte” para colocar seus patrocinadores interessados em investir na Casa Brasil em contato com a agência Vivid Brand.

“Teremos parceiros, mas o projeto é 100% proprietário e não pertence a nenhuma marca ou instituição. O objetivo é mostrar para o público estrangeiro o jeito brasileiro de torcer e acompanhar a seleção brasileira”, disse Gustavo Herbetta, diretor-geral da Vivid Brand e ex-superintendente de marketing do Corinthians.

A Casa Brasil ocupará um espaço chamado SummerGarden em Moscou e levará o nome de Brazil Experience. O local possui bares, restaurantes e casa noturna. Também está prevista uma programação exposições, eventos gastronômicos e shows, com destaque para os dias de jogos da seleção.