Edição nº2556 14/12 Ver edições anteriores

Cartazes espalhados em São Paulo fazem novos ataques a Doria

Policiais do 1º Distrito Policial de São Paulo prenderam hoje cedo, em flagrante, quatro pessoas que faziam a colagem cartazes com novas ofensas ao candidato a governador de São Paulo João Doria (PSDB). Os criminosos foram presos na Avenida Vinte e Três de Maio, debaixo do Viaduto Tutóia. Os ataques promovidos pelos adversários de Doria repetem o conteúdo ofensivo que já havia sido propagado pelas mídias sociais na última terça-feira, com baixarias sexuais envolvendo o candidato tucano, às vésperas das eleições.

Desta vez, os quatro presos colavam os cartazes em postes e muros com nova montagem fake de Doria, apresentando-o praticamente nu, trajando apenas meias e cobrindo as partes íntimas com uma de suas mãos. Na parte superior da imagem, foi impressa a imagem da cabeça do candidato e essa figura dizia “#Doria não”.

Na terça-feira, os adversários de Doria divulgaram vídeos em que uma pessoa usando sua imagem aparecia participando de orgias sexuais. Peritos já constataram que os vídeos são grosseiramente forjados. Os advogados de Doria, inclusive, já ingressaram na Justiça para a identificação dos autores dos vídeos. Segundo a assessoria do candidato tucano, “apesar da comprovação da absoluta falsidade dos vídeos e também do acionamento da Justiça Eleitoral para apuração dos crimes relacionados às mídias divulgadas, os opositores de Doria permanecem se valendo de práticas espúrias na campanha, propagando inverdades que denigrem de maneira patente sua honra”.

A assessoria jurídica de Doria contratou hoje o criminalista Fernando José da Costa, “que está ingressando com nova representação criminal junto à Procuradoria Eleitoral, já que a gravidade dos fatos exige que a Justiça Eleitoral, a Procuradoria e a Polícia Federal tomem ações imediatas para que os autores do crime sejam desvendados”. Como os quatro rapazes que colavam os cartazes foram presos em flagrante, os advogados de Doria esperam que eles confessem quem os contratou para a colagem dos cartazes difamatórios.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.