O Dia

Carnaval 2020: Samba pode atravessar por diferença de R$ 31 milhões

Obras no Sambódromo custariam cerca de R$ 40 milhões; Witzel afirma que investirá R$ 9 milhões

Rio – O governador Wilson Witzel declarou nesta sexta-teira que o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, pediu um prazo de mais 15 dias para para transferir a administração do Sambódromo para o estado. Segundo Witzel, o pedido foi feito por conta de uma discordância dos vereadores.

“O prefeito me pediu esse prazo porque os vereadores estão entendendo que deveria ter uma lei autorizando a fazer a cessão ao estado. No meu ponto de vista, não existe previsão legal para isso”, disse o governador.

A Câmara de Vereadores do Rio informou que o governador deve ter se referido à lei autorizativa, que deverá ser aprovada pela câmara para a cessão do espaço ao estado. “Mas o projeto ainda não foi enviado ao legislativo até o momento”, respondeu a assessoria da casa.

Wilson Witzel ainda demostrou estar preocupado e temer que o atraso comprometa a preparação da Avenida Marquês de Sapucaí para o desfile. “Estamos muito preocupados com as obras a serem realizadas no equipamento e com o tempo”.

Ele afirmou também que o governo do estado vai tentar resolver o impasse com os vereadores o mais rápido possível. “O município não tem condições de fazer as obras. São obras que no total custam quase R$ 40 milhões e nós vamos fazer apenas R$ 9 milhões de obras, que é o necessário para evitar que o espetáculo sofra qualquer tipo de paralisação, como aconteceu este ano, que pouco antes da abertura da avenida foi fechada por uma decisão judicial”, finalizou.

A reportagem de O DIA questionou as autoridades estadual e municipal se os outros R$ 31 milhões seriam financiados pela prefeitura ou se faltaria essa quantia para investir nas obras. No entanto, até ontem à noite, não havia essa informação.

Escola de Ramos vai homenagear Lamartine Babo

A Imperatriz Leopoldinense vai prestar uma homenagear ao compositor Lamartine Babo, um dos grandes nomes da MPB, no Carnaval 2020. O carnavalesco da agremiação de Ramos, Leandro Vieira, revelou com exclusividade ao O DIA detalhes das fantasias de três setores.

 
Leandro pretende levar para a Sapucaí alas que representam os grandes marcos da vida do artista — futebol, Carnaval e São João. Lamartine foi o responsável pelos hinos dos quatro grandes clubes do Rio — Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense — e a escola vai misturar estilos na fantasia. “Elas são misturas dos mascotes dos times, dos uniforme dos jogadores e de figuras carnavalescas como o pierrô e a colombina”, explica o carnavalesco.

 
Uma outra ala ficará responsável por reverenciar algumas das famosas marchinhas de Lamartine, como ‘Uma andorinha não faz verão’, ‘Marcha do grande galo’ e ‘Ri de palhaço’. Leandro pensa em fantasias leves. “Será para simbolizar um Carnaval brincado na rua e ao som de Lamartine”.