Fabio Carille não lamentou a perda de dois pontos em visita ao Mirassol, neste domingo. Mesmo o Santos com um a mais por 30 minutos e vencendo por 2 a 1 até os 45 da etapa final, quando cedeu o 2 a 2, o técnico admitiu que o resultado foi correto e não poupou críticas à equipe.

Questionado se o time falhou nos gols do oponente, Carille evitou uma análise antes de observar com mais tranquilidade, e aproveitou a deixa para detonar a postura santista em campo.

“Eu não vi ainda os gols tomados por vídeo e aqui não tem visão legal para ter ideia, mas a verdade é uma só: a gente não mereceu ganhar o jogo e foi o que falei para os atletas”, surpreendeu. “A gente vinha de jogos de alta intensidade contra Guarani e Corinthians e uma hora poderia pesar. Vamos analisar.”

“Mas achei o time desconcentrado, lento, rodando a bola com lentidão, o que facilitou o bom jogo do Mirassol. A gente comemora um ponto e segue a caminhada”, disse, já focando no clássico com o São Paulo, quarta-feira, no Morumbi.

O treinador, contudo, fez um mea-culpa pela postura e o resultado. “Faz muito tempo que não consigo dar um treino com tempo, com variações, o grupo é novo e está dando uma resposta”, frisou. “A preparação do jogo não foi legal, por causa do atraso do voo na quinta-feira e depois pelo tanto de gente no treino de sexta. Bom que aconteça agora para servir de lição.”

Em Mirassol, João Schmidt e Otero começaram no banco e o treinador explicou que foi por causa de problemas físicos. O volante estava desgastado após o clássico com o Corinthians e Otero sentindo dores no joelho. Não queria “estourar” as importantes peças.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias