Cultura

Cantores britânicos acusam Londres de prejudicar o setor com Brexit

Cantores britânicos acusam Londres de prejudicar o setor com Brexit

(Arquivo) Elton John, Sting e a cantora americana Rosanne Cash, durante um show beneficente em 3 de abril de 2012, em Nova York - Getty/AFP/Arquivos

Várias estrelas da música britânica, incluindo Elton John e Sting, acusaram nesta quarta-feira (20) o governo de Boris Johnson de “falhar vergonhosamente” com os músicos, que não podem mais circular livremente em suas turnês pela União Europeia, devido ao Brexit.

Mais de 100 artistas, de cantores pop como Ed Sheeran a compositores como Judith Weir, assinaram uma carta publicada pelo jornal The Times, denunciando o “enorme buraco” que os músicos enfrentam.

O fim da livre-circulação entre o continente e o Reino Unido em 1º de janeiro significa que os músicos devem agora obter vistos individuais antes de viajarem a trabalho para qualquer país da UE, o que também acarreta custos adicionais.

Londres e Bruxelas se culpam mutuamente por esta situação.

O governo britânico afirma ter feito propostas à UE para chegar a “um acordo ambicioso sobre viagens temporárias para viajantes de negócios que teria coberto músicos”, mas afirma que a UE rejeitou.


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

Já o negociador europeu Michel Barnier nega ter-se oposto à livre-circulação de músicos durante as negociações, dizendo que apresentou a Londres “propostas bastante ambiciosas sobre mobilidade”.

De acordo com o jornal britânico The Independent, foi Londres que rejeitou a proposta padrão da UE de conceder isenção de visto de três meses para artistas e criadores.

Segundo os signatários da carta, os custos adicionais dos novos trâmites tornarão “muitas turnês inviáveis, especialmente para os jovens músicos emergentes que já estão lutando para se manter à tona, devido à proibição de música ao vivo no âmbito do pandemia”.

Na terça-feira (19), a secretária de Estado britânica para a Cultura, Caroline Dinenage, disse que a porta segue “aberta” para novas negociações sobre o assunto, “se a UE estiver preparada para considerar as propostas muito razoáveis do Reino Unido”.

Um abaixo-assinado ao governo e ao Parlamento britânicos solicitando a isenção de visto para profissionais da música e para artistas reuniu mais de 263.000 assinaturas.

v

Várias estrelas, incluindo Louis Tomlinson (One Direction), Thom Yorke (Radiohead) e Dua Lipa, já pediram o apoio dos fãs à petição.

A indústria musical britânica já está devastada pela pandemia da covid-19, e as novas restrições contra o coronavírus adiaram, por tempo indeterminado, o retorno às salas de concerto, turnês e festivais, aumentando as dificuldades para o setor.

O Reino Unido cortou definitivamente, em 31 de dezembro de 2020, seus laços com a União Europeia (UE), encerrando 48 anos de uma relação agitada.

Veja também

+ Aprenda 5 molhos fáceis para aproveitar o macarrão estocado
+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cataratas do Niágara congelam e as imagens são incríveis
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Editora estreia com o romance La Cucina, uma aventura gastronômia e erótica