Esportes

Campeões mundiais pela Argentina em 1986 lançam linha de vinhos

Os jogadores da seleção argentina campeã da Copa de 1986 lançarão ao mercado em maio uma linha de vinhos finos, batizados de “Héroes Blend” e “La Final Malbec”, em lembrança ao segundo título mundial da ‘Albiceleste’.

A iniciativa partiu do ex-zagueiro Oscar Ruggeri ao lado de seu amigo Jorge del Valle, gerente comercial da Vineyards, uma adega localizada na célebre província de Mendoza.


“O projeto começou a tomar forma em abril, maio do ano passado. No meio do ano eles já estavam se reunindo em Buenos Aires e mandei mostras para que provassem. Aí escolheram as uvas”, contou à AFP a enóloga Denise Vicino, que acompanhou os jogadores em todo o processo.

A Vineyards integra o grupo suíço Origin Wines, que na Argentina também é proprietária da Finca la Anita, uma adega boutique de alto padrão na região de Luján de Cuyo, em Mendoza, de onde sairão as uvas selecionadas para estes vinhos, explicou Denise.

O projeto inclui toda a seleção de 1986: “não só jogadores, mas também comissão técnica, todos nós que estivemos nesse campeonato mundial. Alguns já não estão mais aqui, mas suas famílias estão”, disse Ruggeri ao apresentar os vinhos em um hotel de Mendoza junto com Ricardo Giusti, Jorge Burruchaga, Sergio Batista, Osvaldo Garré, Héctor Enrique e Carlos Tapia, alguns dos campeões daquela Copa.

“Propusemos a Ruggeri fazer um vinho, mas ele disse que queria fazer algo com todos da equipe, porque depois do Mundial nunca voltaram a fazer nada juntos”, lembrou Denise, que nasceu três anos depois da conquista da seleção argentina comandada pelo técnico Carlos Bilardo e com um iluminado Diego Maradona como capitão.

Desde que o projeto começou a tomar forma, a enóloga de 33 anos viu “todos os jogos, os vídeos, os documentários, os filmes e as entrevistas” que pôde resgatar do Mundial de 1986. “Me encheu de emoção, me apaixonou”.

Uma vez decidido, a escolha das uvas e dos nomes dos vinhos foi feita em consenso entre todos, contam os ex-jogadores.

Após um estudo comparativo das amostras enviadas pela enóloga, os campeões decidiram por um Malbec batizado como “La Final” e um blend, o “Héroes”, formado por 50% de Cabernet Franc, 40% de Cabernet Sauvignon e 10% de Petit Verdot.

Antes mesmo do lançamento ao mercado, previsto para o dia 15 de maio em Buenos Aires, a adega já recebeu pedidos de interessados da Inglaterra, China, Suíça, Estados Unidos e Peru.

Até o momento, foram produzidas 2 mil garrafas do “La Final” e 5 mil do “Héroes” para o mercado argentino, onde serão vendidas por 2.200 pesos (R$ 92) e 4.800 pesos (R$ 200), respectivamente, mas a exportação também está nos planos.

O dinheiro obtido no negócio irá para um fundo que será usado caso os ex-jogadores ou suas famílias precisem de ajuda financeira.

ls/nn/ma/cb