Esportes

Câmara dos Deputados aprova socorro financeiro de R$ 1,6 bi para o esporte

A Câmara dos Deputados aprovou o socorro financeiro de R$ 1,6 bilhão à área do esporte devido à pandemia do novo coronavírus. O texto, já aprovado pelo Senado, segue agora para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O projeto concede auxílio emergencial de três parcelas mensais de R$ 600, nas mesmas regras dos demais beneficiários desse programa. O prazo poderá ser prorrogado – agora o governo prevê, em geral, mais três parcelas desse auxílio, no valor de R$ 300.

Para receber o valor é preciso ser maior de 18 anos de idade, salvo no caso de atletas ou paratletas com idade mínima de 14 anos vinculados a uma entidade de prática esportiva ou a uma entidade nacional de administração do desporto.

O beneficiário precisa também ter atuado de forma profissional ou não profissional na área esportiva nos 24 meses imediatamente anteriores à data de publicação da lei. O beneficiário não pode estar empregado e não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, como Bolsa Família, entre outras regras.

A proposta considera como profissionais autônomos da educação física aqueles vinculados a uma entidade esportiva, técnicos, preparadores físicos, fisioterapeutas e outros trabalhadores do setor. O texto foi relatado pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP).

Veja também

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar