A Câmara dos Deputados criou nesta terça-feira, 21, dois grupos de trabalhos para análises de projetos que regulamentam a reforma tributária. A medida é assinada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL). 

O primeiro grupo deve relatar o projeto que trata das alíquotas do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) e da Contribuição Social Sobre Bens e Serviços (CBS). A proposta, entregue pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ainda tratará sobre o imposto seletivo, que deve impactar produtos nocivos à saúde, como cerveja, refrigerante e cigarros. 

Compõem o primeiro grupo os deputados:

  • Cláudio Cajado (Progressistas-BA);
  • Reginaldo Lopes (PT-MG);
  • Hildo Rocha (MDB-MA);
  • Joaquim Passarinho (PL-PA);
  • Augusto Coutinho (Republicanos-PE);
  • Moses Rodrigues (União Brasil-CE);
  • Luiz Gastão (PSD-CE). 

O segundo colegiado deverá focar na distribuição de receita do IBS aos estados e municípios. O texto, segundo Lira, deve chegar ao Congresso na próxima semana. 

Compõem o grupo os deputados: 

  • Vitor Lippi (PSDB-SP);
  • Pedro Campos (PSB-PE);
  • Mauro Benevides Filho (PDT-CE);
  • Luiz Carlos Hauly (Podemos-PR);
  • Ivan Valente (PSOL-SP);
  • Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ);
  • Bruno Farias (Avante-MG). 

Os grupos terão 60 dias para analisar as propostas e apresentar um relatório. Entretanto, há uma pressão interna para que o relatório seja entregue no começo de julho, para ser votado antes mesmo do recesso de meio do ano.