Brasil

Bruno Covas: ‘O mundo faz chacota do Brasil por causa da politização da pandemia’

Bruno Covas: ‘O mundo faz chacota do Brasil por causa da politização da pandemia’

Bruno Covas (PSDB) participou de uma live com a IstoÉ, na tarde da sexta-feira (5), e revelou como está enfrentando o câncer e as dificuldades impostas pela Covid-19 na gestão da capital paulista, “já que não existe no mundo um ‘manual’ de como enfrentar esta pandemia”.


Para se proteger do contágio, Covas segue rigorosos conselhos médicos, como manter o isolamento social. “Não estou em home-office mas “office-home”. Eu trouxe a cama para o trabalho”, disse.

Aos 39 anos, Bruno Covas vive confinado na sede da prefeitura da capital paulista há 70 dias, tempo que já dura a quarentena no município. A cidade, que a partir da semana que vem começa mais uma fase da abertura do comércio, vive o epicentro no país da doença.

Neto do ex-governador de São Paulo Mário Covas e ligado à política desde a infância. Bruno admitiu na live que é candidato a sua reeleição, em qualquer cenário. Na conversa, ele classificou como “sensacionalismo barato” a invasão de um hospital de campanha na cidade por um grupo de parlamentares bolsonaristas e ainda criticou o governo federal ao afirmar que “o mundo está fazendo chacota do Brasil por causa da politização do Covid-19.

“Não existe direita, nem esquerda no combate à doença”, disse Covas. “É uma pena o presidente da república tratar essa doença como uma gripezinha”, ressaltou o prefeito.

Filiado ao PSDB, ex-deputado estadual e federal, Bruno Covas assumiu a prefeitura depois da renúncia ao cargo por João Dória (PSDB), atual governador do estado, o prefeito disse que “não é momento em falar em desconto do IPTU”, já que a cidade perdeu a receita de cerca de nove bilhões de reais, que deixou de ser recolhido.

Covas avalia que o cronograma de abertura da cidade segue critérios rígidos e que caso a população não colabore no combate à doença, e os índices aumentarem, o confinamento deve voltar, inclusive a estaca zero. Para ele, o segredo do plano de reabertura da cidade é a possibilidade de avançar e retroceder no isolamento social.

Sobre a educação, Covas afirma que “não existe data para o retorno das aulas na cidade”. O prefeito fala sobre o dia a dia no combate à pandemia e diz que a prefeitura trabalha com 90% de cura da doença das pessoas infectadas.

Bruno Covas alerta a população: “Não passamos ainda a pandemia. Usem máscaras, evitem aglomerações e deslocamentos desnecessários”.

“Podem me acusar de qualquer coisa, menos de omissão no combate ao Coronavirus”, finalizou.