ISTOÉ Gente

Bruna Linzmeyer: Ser sapatão é identificação cultural, pertencimento emocional

Crédito: Reprodução Instagram

Bruna Linzmeyer afirma que, por muito tempo, não conseguiu assumir a homossexualidade e essa situação foi perpetuada, segundo ela, por causa da analista.

“Quando vi, eu não dançava mais, não bebia, não amava. Parei até de escrever. Ela me fez duvidar de mim, da minha escolha, do meu desejo”, disse. A atriz participou de uma série de entrevistas feitas pelo jornal O Globo.

A artista também disse que as pessoas que lutam para viver a sexualidade com liberdade são muitas. “Somos diferentes também, depende de onde a gente mora, da cor da nossa pele, das escolhas de cada um. A gente tem construído uma cultura lésbica”, explica.

Bruna Linzmeyer acrescentou: “Ser sapatão não é só sobre amar ou fazer sexo com mulheres. Para além de sexo e romance, é uma identificação cultural, um pertencimento emocional, um lugar no mundo”.

A atriz namora a DJ e artista visual Marta Supernova.

Saiba mais
+ Homem acusado de matar a mãe e a tia é retirado de audiência por miar
+ Receita fácil de cupcakes para comemorar o Halloween
+ Suzy Cortez diz que tatuagens com o rosto de Messi fazem homens falharem
+ As 20 Picapes mais vendidas em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Sprinter vira motorhome completo; conheça o modelo
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio