Economia

British Steel vai à falência e ameaça milhares de empregos no Reino Unido

British Steel vai à falência e ameaça milhares de empregos no Reino Unido

Unidade do grupo British Steel em Scunthorpe, norte da Inglaterra - AFP

As autoridades britânicas anunciaram nesta quarta-feira a falência do grupo siderúrgico privado British Steel, com graves problemas de solvência atribuído à incerteza sobre o Brexit, o que ameaça quase 25.000 postos de trabalho, entre empregos diretos e indiretos.

“A Alta Corte ordenou a liquidação da British Steel Limited. O administrador judicial oficial foi nomeado como liquidador”, anunciou o governo em um comunicado.

A liquidação significa que os ativos da British Steel no Reino Unidos serão vendidos para pagar os salários de seus trabalhadores e indenizar os fornecedores na medida do possível.

A British Steel surpreendeu o país em 14 de maio ao anunciar a necessidade urgente de dinheiro, com o reconhecimento de graves problemas de liquidez, situação atribuída ao impacto em sua atividade da incerteza que cerca o Brexit.

Durante o processo de liquidação, a empresa terá que continuar funcionando, “os funcionários continuarão sendo remunerados e conservarão seu contrato”, explicou o administrador judicial.

Mas após a conclusão da liquidação, a British Steel desaparecerá e os mais de 4.500 funcionários do grupo no Reino Unido perderão os empregos, em particular na grande fábrica de Scunthorpe, nordeste da Inglaterra.

De acordo com os sindicatos e deputados da oposição de esquerda, a medida também afetará os quase 20.000 empregos indiretos na cadeia de abastecimento.

“O Brexit despojou a British Steel de sua carteira de pedidos no exterior. Como resultado, 4.000 empregos diretos e outros 20.000 empregos na cadeia de abastecimento estão em perigo”, criticou a deputada trabalhista Jo Stevens, líder do grupo parlamentar sindical GMB.

Os sindicatos britânicos haviam solicitado diversas vezes uma intervenção do governo, com a estatização do grupo, que pertence ao fundo de investimentos Greybull Capital.

Nos últimos dias, o governo iniciou negociações com a direção do grupo, mas não chegou a nenhum resultado.

“Só podemos atuar dentro da lei e está claro que seria ilegal conceder um empréstimo ou garantia nos termos solicitados pela empresa”, explicou a primeira-ministra Theresa May na sessão semanal de perguntas e respostas na Câmara dos Comuns.

Tim Roache, secretário-geral do sindicato GMB, lamentou uma “notícia terrível para os milhares de trabalhadores” da British Steel no país.

“Apesar do anúncio de que a British Steel será colocada em regime de falência controlada pelas autoridades, o Unite pedirá a todas as partes que lutem para garantir o futuro da empresa”, declarou Steve Turner, diretor desta central sindical.