POLÍTICA

Britânicos no exterior perdem a batalha para votar no referendo da UE


Um veterano britânico da Segunda Guerra Mundial que vive na Itália perdeu nesta quinta-feira a batalha legal para que seus compatriotas que moram há maios 15 anos no exterior possam votar no referendo sobre a permanência ou não na UE.

O juiz David Lloyd Jones da Alta Corte rejeitou o pedido de Harry Shindler, de 94 anos, e de outra demandante, Jacquelyn MacLennan, britânica residente na Bélgica, que argumentavam que a restrição violava sua liberdade de movimento amparada nas leis europeias.

O juiz disse que a lei eleitoral de 2015 “não supõe uma restrição à liberdade de movimento”.

Os advogados dos demandantes anunciaram que pretendem apelar da decisão.

A resolução é um alívio para o governo, cujos representantes alegavam que uma decisão a favor dos demandantes provocaria o adiamento do referendo de 23 de junho.

Os britânicos que estão há mais de 15 anos no exterior não podem votar nas eleições gerais, assim como no referendo.

Mas os irlandeses e os cidadãos de países da Commonwealth (Comunidade das Nações Britânicas) que residem no Reino Unido, assim como os de Gibraltar, podem votar.

jwp/fp


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua