O empresário Luiz Marcelo Antonio Ormond, de 44 anos, foi encontrado morto dentro do apartamento onde vivia com a namorada, 29, no Engenho de Dentro, Rio de Janeiro. A mulher é suspeita de ter envenenado o homem com um brigadeirão.

+ Mulher é suspeita de envenenar namorado com brigadeirão e passar dias com o cadáver no Rio

+ Tudo o que se sabe sobre o caso do brigadeirão envenenado

Júlia Andrade Cathermol Pimenta é procurada pela polícia e está foragida. A cigana Suyane Breschak, amiga da mulher, foi presa no dia 28 de maio sob suspeita de participação no crime.

Quem era o empresário?

Os vizinhos do empresário sentiram um cheiro forte vindo do apartamento de Luiz e acionaram a polícia, que encontrou o corpo em estado de decomposição.

Ao jornal “O Globo”, o primo do empresário Bruno Luiz Ormond o descreveu como “bondoso e sozinho”, também destacou que ele era reservado e prestativo e que não teve muitas ex-namoradas. O primo destacou que Luiz e Júlia já se conheciam e ela se reaproximou em um momento de vulnerabilidade, após a morte da mãe dele, há cerca de um ano.

“(Ele) virou a vítima perfeita. A mãe de Luiz não gostava da Júlia. Quando viva, era contra o relacionamento deles. Assim que a mãe dele partiu, ela (Júlia) viu uma oportunidade de se reaproximar dele”, disse.

O primo ressaltou que, dias antes do crime, o empresário comentou que a namorada dele iria fazer a “sua sobremesa favorita”. Bruno afirmou que Júlia levou do apartamento uma arma, joias e outros itens de valor. “Ela fez isso por dinheiro. Por pouco dinheiro. Ele não era um homem rico. Ela estava tentando fazer união estável com Marcelo. Júlia dizia que queria ajudá-lo a fazer investimentos com dinheiro dele. Por isso, decidiram abrir uma conta conjunta”, completou.