Brasileiros do Ano 2018

Talento e responsabilidade

Em um ano de poucas comemorações esportivas, o surfista continua orgulhando o Brasil com sua trajetória e instituto que forma novos surfistas

Crédito: Pedro Dias

Gabriel Medina

O surfista Gabriel Medina é um fenômeno do esporte. Praticamente inventou um novo jeito de surfar com vôos e giros prolongados e manobras alucinantes. Nos últimos quatro anos, ele conquistou mais vitórias no campeonato mundial do que qualquer outro competidor e tem dominado seus rivais mais próximos em batalhas frente a frente, razão pela qual se tornou um candidato permanente ao título. No início deste mês, ele disputará a etapa final do mundial nas ondas de Pipeline, no Havaí. Atualmente, ele é o líder isolado da competição, com 56.190 pontos, à frente de Julian Wilson e do brasileiro Filipe Toledo, ambos com 51.450 pontos. Medina só depende dele próprio para trazer seu segundo título para o Brasil. Se chegar às finais, independentemente dos resultados de seus concorrentes, ele conquista o campeonato.

Aos 24 anos, Medina é, de longe, o surfista mais popular no atual Circuito Mundial de Surfe, se levarmos em conta seu desempenho nas mídias sociais. Seus 6,4 milhões de seguidores no Instagram somam mais do que os de Kelly Slater, maior surfista profissional da história do surf, e John John Florence, bicampeão mundial, juntos. Medina é considerado um herói nacional graças ao título mundial que conquistou em 2014. Foi o primeiro campeão cuja língua materna não é o inglês. Seu explosivo repertório de manobras lhe rendeu inúmeros títulos amadores desde a adolescência. Em 2009, aos 15 anos, ele se tornou o mais jovem surfista vencedor de um grande evento da Qualifying Series. Em 2011 se classificou para o Championship Tour (CT) junto com Florence e chamou atenção pelos seus voos. Seu enorme impacto no cenário internacional serviu de combustível para uma nova leva de talentos brasileiros que agora ocupam um terço da lista do CT.

Em retribuição a tudo que o surfe lhe deu, Medina e sua família criaram, em fevereiro do ano passado, o Instituto Gabriel Medina (IGM). O Instituto fica na praia de Maresias, em São Sebastião, onde ele começou a surfar. O Instituto já é referência como centro de preparação de alta performance para jovens talentos. São atendidos atletas dos 10 aos 17 anos. As únicas exigências são frequência nos treinos e na escola. A seleção é feita no Circuito Medina de Surfe. A instituição oferece, gratuitamente, a mesma estrutura técnica, física e médica do campeão, além de garantir aulas de idiomas, já visando as trajetórias futuras.