Farol ISTOÉ

Brasileiras são forçadas a se prostituir na Coréia do Sul

Brasileiras são forçadas a se prostituir na Coréia do Sul

AFP/Arquivos

Seduzidas pela promessa de se tornarem artistas de K-Pop, sete mulheres brasileiras viajaram para a Coréia do Sul e acabaram escravizadas sexualmente, segundo o jornal Korea Times. Os contatos com as vítimas, com idades entre 20 e 30 anos, foram feitos pelas redes sociais em julho. Membros de uma quadrilha de tráfico de pessoas convenceram as mulheres, todas fãs de música popular sul-coreana, de que elas se tornariam artistas ou modelos no país e lhe forneceram passagens de ida e volta gratuitamente. Mas, assim que chegaram, tiveram seus passaportes confiscados e as passagens de volta para o Brasil, suspensas. Elas foram confinadas em alojamentos nas cidades de Goyang e Paju, na província de Gyeonggi, e obrigadas a trabalhar para pagar as passagens. Cinco suspeitos foram identificados. As vítimas conseguiram aproveitar um momento de desatenção dos sequestradores e entraram em contato com a embaixada brasileira no dia 17 de agosto. Após a denúncia, a polícia coreana realizou uma operação de resgate e as libertou.

Veja também

+ Pronampe: pedidos ao Sicoob somam R$ 500 mi em 1 dia, 41% do limite
+ Leilão tem Camaro por R$ 72 mil e Versa por R$ 22 mil
+ Gafanhotos: Bahia enfrenta nuvem de insetos
+ A história da Rural e da picape F-75, avós dos SUVs brasileiros
+ 5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
+ Hackers brasileiros roubaram dados de clientes em 12 bancos
+ Jovem pede delivery e encontra dedo humano em esfirra
+ Veja 7 incríveis casas na natureza para sonhar
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

Tópicos

redação