Geral

Brasileira presa na Tailândia é condenada a 9 anos e 6 meses por tráfico de drogas, diz advogada

Crédito: Reprodução

Mary Hellen Coelho da Silva foi presa na Tailândia (Crédito: Reprodução)

A advogada Kaelly Cavoli Moreira, que representa a jovem Mary Hellen Coelho Silva, afirmou que ela foi condenada a nove anos e seis meses de prisão. A brasileira foi detida, em fevereiro deste ano, por tráfico internacional de drogas na Tailândia. As informações são do G1.

A defesa informou que a sentença foi proferida no domingo (8), mas a embaixada brasileira na Tailândia recebeu a informação na quarta-feira (11). Os advogados de Mary Hellen tomaram conhecimento nesta quinta-feira (12) por meio de um e-mail.


“A gente teve uma pena muito positiva, melhor do que a gente esperava. Nós estávamos contando com 50 anos de prisão, mas já tínhamos descartado a pena de morte e a prisão perpétua. Estamos caminhando para uma pena humana, o mundo precisa ir na contramão de penas desumanas”, relatou Kaelly.

Mary Hellen recebeu essa pena porque a Tailândia mudou a lei contra o tráfico de drogas, em 2021. Atualmente, a transgressão pode ser penalizada com até 15 anos de detenção.

O país asiático é um dos poucos onde o crime de tráfico de drogas pode ser punido com pena de morte, dependendo da quantidade e das circunstâncias.

Advogados irão tentar extradição

A advogada Kaelly informou que a pena de Mary Hellen foi divida em dois anos por crime civil, e sete anos e seis meses, crime penal.

“A brasileira teria sido assistida por defensor público nomeado pela própria Corte. O setor consular está tentando, desde ontem, obter cópias dos documentos da sentença da brasileira.”

Depois de ter acesso à sentença, os advogados que representam a jovem tentarão a sua extradição, para que ela cumpra a pena no Brasil.

Suspeita de aliciamento detida

A Polícia Federal prendeu na última quinta-feira (5) uma mulher suspeita de aliciar os brasileiros detidos por tráfico de drogas na Tailândia, em fevereiro deste ano. O mandado de prisão preventiva foi executado em Curitiba (PR) e faz parte da Operação Ong Bak.

Por conta disso, o advogado Telêmaco Marrace, que também representa Mary Hellen, afirmou que “abre caminho para a extradição” da jovem.

Ele destacou que a brasileira foi feita de “mula” pois não sabia que tinha cocaína dentro da sua mala quando entrou na Tailândia.

“Nada prova também que a Mary Hellen sabia do conteúdo da mala. Ela provavelmente foi no emaranhado da trama, mas localizando quem emitiu a droga, muda um pouco a questão.”

Relembre a prisão de Mary Hellen

A jovem Mary Hellen Coelho Silva, de 21 anos, foi presa no aeroporto de Bangkok, na Tailândia.

A notícia sobre a prisão foi dada por Mary por meio de áudio. “Ela me mandou um áudio desesperada falando que tinha sido presa na Tailândia. Pediu para eu ajudar ela de alguma forma, entrar em contato com a embaixada brasileira. Só que eu não tinha noção da dimensão daquilo, não sabia da gravidade. Pra mim, ela estava viajando para Curitiba atrás de algum namorado, estas coisas que os jovens fazem”, contou Mariana Coelho, a sua irmã mais velha.

Ainda segundo Mariana, a família não desconfiava de que a jovem estava envolvida com tráfico. “Ela trabalhava com carteira assinada em uma churrascaria da cidade. Ela tinha o serviço dela, tudo certinho. A gente não sabe o que levou ela a fazer isso. A gente ficou em estado de choque, estamos desesperados”.

Mary Hellen nasceu no Rio de Janeiro e se mudou com a mãe e os quatro irmãos para Pouso Alegre (MG).

Segundo a família, ela queria ganhar dinheiro para custear o tratamento de câncer no útero que a mãe sofria. Porém, infelizmente, a mulher morreu em abril deste ano.