Brasil

Brasil tem mais de 153 mil mortes e 5,2 milhões de casos

SÃO PAULO, 16 OUT (ANSA) – O Brasil registrou mais 754 mortes pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) no período de 24 horas, elevando o número total de vítimas para 153.214, informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta sexta-feira(16).   

Segundo o balanço, a quantidade total de casos confirmados desde março deste ano chega a 5.200.300, com um acréscimo de 30.914 contágios em um dia. Com isso, a taxa de incidência da doença é de 2.474,6 pessoas a cada 100 mil moradores.   

Já o índice de letalidade está mantido em 2,9%, enquanto a mortalidade é de 72,9 cidadãos para cada 100 mil habitantes.   

O estado de São Paulo apresenta os maiores números em valores absolutos, com 1.057.240 casos registrados e 37.870 mortes.   

A segunda posição nos dados totais de contaminações fica com a Bahia (332.898), seguida por Minas Gerais (331.433), Rio de Janeiro (289.440) e Ceará (263.143).   

Quando considerado apenas o número totais de vítimas, a segunda posição fica com o Rio de Janeiro com 19.654 óbitos – e a maior taxa de letalidade do país, com 6,8%.   

A média móvel de óbitos dos últimos sete dias é de 511 e de casos é 20.630. (ANSA).   

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Telefone de jornalista argentino roubado ao vivo em Buenos Aires

+ Mais de 200 escolas do Paraná vão virar colégios cívico-militares

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar