Geral

Brasil registra 228 mortes por covid em 24h; média se mantém abaixo de 100

O Brasil registrou 228 novas mortes pela covid-19 entre as 20 horas desta segunda-feira, 23, e o mesmo horário desta terça-feira, 24. Apesar do número elevado de óbitos, a média móvel de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, está em 97. O índice está abaixo de 100 desde ontem, depois de passar nove dias acima do patamar. O acumulado de vítimas da doença é de 665.955.

Também chama atenção o número alto de novas infecções. Nas últimas 24 horas, foram 32.998 casos confirmados foram computadas. A média móvel de testes positivos, dos últimos 7 dias, é de 15.425. No total, o Brasil tem 30.832.912 casos da doença.


Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h.

O Estado de São Paulo reportou 57 mortes por coronavírus nesta segunda. O Rio de Janeiro informou o maior número de vítimas pela doença nas últimas 24 horas entre as unidades federativas, com 61 óbitos. Sete Estados não contabilizaram mortos, enquanto Acre, Amapá, Maranhão, Roraima e Tocantins não informaram os dados atualizados da pandemia.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Nesta terça, o painel interativo do Ministério da Saúde informou 239 novas mortes, o acumulado de vítimas decorrentes da covid é de 665.905. Em relação aos novos casos, 32.820 foram registrados entre ontem e hoje, enquando desde o início da pandemia são 30.836.815 de casos acumulados. Conforme o órgão, 29.885.580 se recuperaram da doença. Geralmente, os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.